Connect with us

O que você está procurando?

Doenças

João Gordo revela que tem doença pulmonar crônica; médico comenta

O cantor e apresentador preocupou os fãs ao aparecer com máscara e oxímetro. Ele revelou ter doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC)

O cantor e apresentador preocupou os fãs ao aparecer com máscara e oxímetro. Ele revelou ter doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC)
João Gordo revela que tem doença pulmonar crônica; especialista comenta - Reprodução Instagram / @jgordo
[PAGE TITLE]

O cantor e apresentador João Gordo revelou nesta quarta-feira (29) que tem doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC). Os fãs do vocalista da banda Ratos de Porão ficaram preocupados após o artista aparecer com uma máscara de inalação e um oxímetro no dedo em foto. Ele usou as redes sociais para explicar seu estado de saúde.

"Eu não estou morrendo, cara. Mas, se eu ficar marcando, eu posso morrer. Eu tenho um problema do pulmão. Eu sou DPOC, que é doença pulmonar obstrutiva crônica", afirmou. 

"Quando muda o tempo, inverno, eu fico cheio de catarro e não consigo dormir. Eu tenho que ficar fazendo inalação e medindo com o oxímetro no dedo toda hora", completou o cantor.

O que é DPOC

O professor e clínico geral pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), Dr. Carlos Machado, explica que a doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) é o nome dado para uma enfermidade que deixa o pulmão, de forma lenta e progressiva, em mal funcionamento. 

“O pulmão vai ficando obstruído. Além disso, os alvéolos, aqueles saquinhos onde o oxigênio é trocado, são destruídos. Então a pessoa tem uma troca ruim de oxigênio, passa a ter menos oxigênio no corpo e começa a acumular secreção no pulmão, facilitando muitas infecções pulmonares, como pneumonias e broncopneumonias”, esclarece.

Os sintomas de uma doença pulmonar crônica costumam ser imperceptíveis no começo, como alerta o médico. “O paciente está evoluindo com o pulmão ruim, com o acúmulo de secreção e uma certa fibrose ou endurecimento do órgão, mas não percebe”, comenta. Os primeiros alertas do organismo geralmente são tosse, secreção e infecção pulmonar de repetição.

Como evitar uma doença pulmonar

O clínico geral, especialista em medicina preventiva, destaca que a melhor forma de evitar uma doença pulmonar é, em primeiro lugar, parar de agredir o pulmão. Portanto, é imprescindível abandonar hábitos como o fumo. "Não importa se é cigarro de palha, charuto ou cigarro comum, em especial agora o cigarro eletrônico, que é muito mais perigoso do que o cigarro antigo. E obviamente o cigarro de maconha ou de qualquer outro produto químico”, revela. 

Conforme o especialista, tudo isso agride o pulmão da mesma maneira que a poluição. “Pessoas que vivem num ambiente com mais poluição vão ter mais problemas pulmonares porque a poluição deposita sujeira no órgão e pode acabar provocando uma doença pulmonar obstrutiva crônica”, adverte.

O Dr. Carlos reforça que o mais importante é não danificar o pulmão, já que ele serve como um filtro do nosso organismo. “A maneira mais simples de evitar uma doença pulmonar é, primeiro, não fumar nenhum tipo de cigarro. Segundo, é tratar muito bem as infecções virais, como a H1N1 e a Covid-19. Todas essas infecções estão causando doenças pulmonares crônicas que surgem meses após a pessoa entrar em contato com o vírus”, recomenda.

Tratamento

De acordo com o médico, o tratamento muitas vezes não atinge a reversão do quadro, mas pode amenizar os sintomas. Geralmente, o foco está em tentar melhorar a respiração, diminuir as secreções e aumentar a hidratação. “As inalações caseiras funcionam muito bem”, indica. Ele enfatiza a importância de buscar orientação médica.

Advertisement

Você também vai gostar

Alimentação

Treinador revela como alguns fatos famosos sobre a prática são, na verdade, mal interpretados

Alimentação

Treinador revela como algumas simples atitudes podem potencializar o treino e, consequentemente, o desenvolvimento muscular

Doenças

Nutricionista revela como manter a dieta mesmo durante os momentos de tentação

Covid

Entenda a importância da prática de exercícios físicos regulares para quem já passou dos 60 anos de idade