Não consegue emagrecer? A culpa pode ser dos hormônios; entenda

Eixo hormonal desregulado pode interferir na qualidade de vida, saúde e até mesmo no ganho de peso

Especialista conta quais são os hormônios que interferem no emagrecimento
Especialista conta quais são os hormônios que interferem no emagrecimento - Shutterstock

por Redação SD
Publicado em 20/09/2021 às 17:00
Atualizado às 17:00

COMPARTILHEFacebook Saúde em DiaPinterest Saúde em Dia

A pessoa acorda cedo todos os dias, toma um café da manhã equilibrado, com boas quantidades de proteínas, carboidratos complexos e gorduras saudáveis. Sai de casa e já faz uma caminhada ou uma corrida leve antes de começar a trabalhar. Durante o expediente realiza pequenas pausas para comer uma fruta ou tomar um iogurte. Nunca esquece de beber água, pois sempre anda com uma garrafinha ao lado. No almoço, nada de besteiras ou sobremesas. Antes de voltar para casa vai para a academia e realiza um bom treino de musculação. À noite mantém o foco na dieta, não assalta a geladeira e ainda dorme cedo.

Faz tudo isso, mas não consegue emagrecer e perder aquela barriguinha que tanto lhe incomoda. O que será que está acontecendo? Provavelmente alguma oscilação do eixo hormonal está sabotando os seus objetivos. "Os hormônios são substâncias químicas responsáveis por controlar diversas funções do nosso corpo. Elas são produzidas e lançadas no sangue pelo sistema endócrino ou por neurônios especializados, funcionando como um sinalizador celular", explica a endocrinologista e especialista em emagrecimento Bruna Marisa.

De acordo com a especialista, existem alguns hormônios que podem interferir diretamente no processo de emagrecimento. Regular a produção dessas substâncias pode ser a chave para alcançar o condicionamento físico desejado. Por isso, a médica elencou quais hormônios merecem a atenção de quem deseja perder gordura corporal. Confira:

1.Tireoide
Os hormônios produzidos na tireoide possuem uma grande influência no metabolismo do corpo. Ou seja, eles podem ditar o gasto calórico diário que uma pessoa tem apenas para se manter viva. Em casos de hipotireoidismo – quando existe uma baixa atividade da tireoide – esse gasto energético pode diminuir e dificultar o processo de emagrecimento. Mas não impede a queima de gordura. "Dizer que ganhou 10 ou 20 quilos por problemas na tireoide é falso. Nesses casos, pode haver uma junção do hipotiroidismo mal controlado com a má alimentação, os gastos energéticos e a falta de atividade física", conta a médica.

2.Testosterona
Ao contrário do que algumas pessoas podem imaginar, a testosterona não é um hormônio presente apenas no organismo dos homens. Ela também está presente nas mulheres e – mesmo em quantidades menores – tem funções fundamentais para o bom funcionamento do corpo e o bem-estar. A substância está diretamente ligada ao ganho de massa magra e à queima de gordura. Alguns medicamentos, como anticoncepcionais, podem inibir a produção de testosterona e atrapalhar o processo de emagrecimento. A recomendação da Dra. Marisa é que a pessoa procure um médico para investigar e avaliar o caso.

3.Cortisol
O famoso hormônio do estresse. O cortisol é liberado pelo organismo quando ele se encontra em situações de perigo ou momentos de pressão. A substância serve como uma espécie de defesa, que deixa o corpo em alerta para uma situação estressante. Porém, quando se acumula situações desse gênero e não se extravasa, as consequências podem ser ruins para o organismo e até mesmo frear o processo de emagrecimento. "O segredo é saber gerenciar esses conflitos e lidar com os problemas ao invés de ficar apenas remoendo. A diferença está em como você vai encarar e reagir aos acontecimentos para que isso não interfira negativamente na sua saúde", aconselha a Dra. Marisa.

4.GH
Hormônio responsável pelo crescimento e pela reprodução celular. Fundamental para um bom funcionamento metabólico e, consequentemente, para o emagrecimento. Ele costuma ser produzido durante a noite e, por isso, depende muito da qualidade do sono. Pessoas muito atarefadas e que acabam dormindo pouco podem apresentar carências de GH e isso interfere diretamente na perda de peso e na saúde como um todo.

Como identificar problemas hormonais

A melhor maneira de descobrir se o organismo está com alguma deficiência na produção de hormônios é realizar exames periódicos. O famoso check-up a cada seis meses vai servir como um guia para os médicos avaliarem de perto o funcionamento do corpo e identificarem possíveis carências.

"Depois de uma minuciosa avaliação médica, se for preciso, a reposição hormonal, tanto feminina quanto masculina, pode ser feita, principalmente quando repercute no corpo e na mente, porque ela está totalmente ligada aos hormônios", finaliza a especialista em emagrecimento.

Fonte: Alto Astral

Leia também