Câncer de mama: entenda como Zileide Silva descobriu a doença

Oncologista fala desse tipo de tumor quando é tratado na fase inicial e ressalta a importância da mamografia

Recentemente a jornalista Zileide Silva revelou durante sua participação no programa ‘Em Pauta’, da GloboNews que descobriu um câncer de mama
Recentemente a jornalista Zileide Silva revelou durante sua participação no programa ‘Em Pauta’, da GloboNews que descobriu um câncer de mama - GloboNews/Reprodução

por Redação SD
Publicado em 29/07/2021 às 11:53
Atualizado às 12:45

COMPARTILHEFacebook Saúde em DiaPinterest Saúde em Dia

Recentemente a jornalista Zileide Silva revelou durante sua participação no programa ‘Em Pauta’, da GloboNews, que descobriu um câncer de mama durante a pandemia e por conta do tratamento da doença, passou por um período de afastamento das atividades profissionais.

Ela ressaltou a importância da atenção aos sinais de alerta e diagnóstico da doença. "Eu percebi logo no início. Fiz o autoexame, senti que havia uma coisa estranha, fui ao médico, aquela série de exames, câncer no seio. Operada, fiz a quimioterapia, voltei. Muito feliz de estar de volta", disse Zileide.

O site Famosos e Celebridades destacou que entre o final de 2014 e início de 2015, Zileide também se afastou da TV por motivos de saúde. Na época, ela precisou tratar de uma doença grave não divulgada. 

Segundo levantamento da Sociedade Brasileira de Patologia (SBP), 70 mil diagnósticos de câncer deixaram de ser realizados no período mais crítico da pandemia em 2020, entre os meses de março e junho. No caso dos tumores de mama, que atualmente lideram o ranking de tipos de câncer mais diagnosticados em todo o mundo.

De acordo com o Ministério da Saúde, em outubro de 2020 mostraram que houve queda de 84% no número de mamografias feitas no país durante a pandemia da Covid-19 em comparação ao mesmo período do ano anterior.

Para o Dr. Max Mano, oncologista líder de tumores de mama do grupo Oncoclínicas, é fundamental fazer os exames de rotina mesmo durante a pandemia, pois quando a maioria estiver vivendo o “novo normal”, há riscos de um aumento considerável de diagnósticos tardios do câncer de mama, por exemplo.  

O exame de imagem das mamas permite que sejam identificados tumores menores que 1 cm e lesões em início, sendo determinante para a descoberta do câncer de mama logo no início", explica. O Instituto Nacional do Câncer (INCA), revela que no Brasil esse tipo de câncer responde cerca de 67 mil novos diagnósticos todos os anos. A mamografia é o principal exame preventivo para identificação de tumores de mama.

O especialista alerta ainda que a mamografia deve ser realizada anualmente por todas as mulheres acima dos 40 anos e a decisão por adiar ou não esse exame só deve ser tomada mediante o aconselhamento médico. Quando o tumor é descoberto no início as chances de cura podem chegar a 90%, por conta do tratamento ser considerado menos invasivo, o que melhora, em muito, a qualidade de vida durante e após o tratamento da doença.

"Mulheres que tratam ou já tiveram câncer de mama, bem como aquelas com histórico de câncer de mama entre parentes próximas (irmãs, mães) e/ou que têm mutações genéticas hereditárias já identificadas, não devem jamais deixar de fazer os controles sem orientação do especialista", completa o médico. O câncer faz parte do rol de doenças estabelecido pelo Ministério da Saúde cujo tratamento não pode ser considerado eletivo.

Atualmente, de acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), 1,5 milhão de brasileiros têm tumores malignos e estimativas do Instituto Nacional do Câncer (INCA) indicam que são esperados ao menos outros 625 mil novos diagnósticos da doença até o final de 2021.

Fontes: Dr. Max Mano, oncologista e líder de tumores de mama do Grupo Oncoclínicas.  (Com informações do site Famosos e Celebridades).

Leia também