Confira dicas para facilitar a rotina de pessoas com a doença de Parkinson

Tremores, rigidez muscular, lentidão dos movimentos são alguns dos sinais que se manifestam

A fadiga é uma característica muito comum e é até mesmo esperada na doença
A fadiga é uma característica muito comum e é até mesmo esperada na doença - Shutterstock

por Julia Natulini
Publicado em 17/06/2021 às 12:24
Atualizado às 12:24

COMPARTILHEFacebook Saúde em DiaPinterest Saúde em Dia

Segundo dados da Biblioteca Virtual em Saúde do Ministério da Saúde, a doença de Parkinson é a segunda patologia degenerativa, crônica e progressiva do sistema nervoso central mais frequente no mundo, atrás apenas do Alzheimer.

Cerca de 4 milhões de pessoas no mundo vivem com essa enfermidade, o que representa 1% da população mundial a partir dos 65 anos, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Os primeiros sintomas do Parkinson costumam ser sutis e surgem gradualmente, podendo passar despercebidos por muito tempo e até serem considerados traços característicos do envelhecimento, o que acaba por dificultar a identificação pelo paciente ou membros da família.

Em geral, entes próximos que ficam mais tempo sem ver a pessoa, notam mais facilmente as alterações o diagnóstico assertivo da doença. Tremores, rigidez muscular, lentidão dos movimentos, alterações na fala e instabilidade postural são alguns dos sinais que se manifestam.  

Para as famílias que já convivem com parentes nessa condição, a equipe de profissionais da Home Angels, preparou algumas dicas para facilitar as tarefas diárias. 

  • Antes de iniciar uma atividade, peça que o idoso faça o planejamento mental do que será realizado. Desta maneira, ele terá maior segurança no movimento que irá fazer. Vale ressaltar que esta organização não será tão eficaz se o ambiente sofrer com mudanças contínuas, por isso, deve-se evitar a troca de móveis, por exemplo. 

  • Quando a atividade apresentar certo risco ou esforço para o idoso, evite conversar com ele pois, assim, a atenção não é dividida e o foco fica apenas no que está sendo feito. Lembre-se, no Parkinson, os movimentos deixam de ser automáticos e passam a ser pensados antes de serem realizados. Esse entendimento ajuda  a compreender porque as atividades são realizadas uma a uma e não duas ao mesmo tempo. 

  • Durante as refeições, evite deixar a televisão ligada. O idoso precisa estar em uma posição confortável e o ambiente deve contar com uma boa iluminação. Os utensílios usados para a refeição podem ser adaptados.

  • Tenha sempre por perto uma cadeira, pois em casos de fadiga extrema, o idoso tem onde descansar. A cadeira, em um determinado estágio da doença, se torna um item importante para o idoso que já apresenta instabilidade postural.

  • Priorize roupas confortáveis, evitando botões ou zíper; caso tenha, deixe o idoso sentado para abri-los e fechá-los. Pode ser que sejam necessários comandos verbais para ajudar na construção do movimento que será realizado, portanto, observe o idoso para ver se este já é o caso.

  • A fadiga é uma característica muito comum e é até mesmo esperada na doença, que causa muito impacto na condição geral do enfermo. Existem técnicas para o gerenciamento desse estágio e os profissionais de saúde envolvidos nos cuidados podem te ajudar. Além das técnicas, uma boa noite de sono e um cochilo, 40 minutos no máximo, no meio da tarde, pode ajudar bastante. 

Leia também