Dia Nacional de Combate ao Colesterol: mitos e verdades sobre a doença

Endocrinologista esclarece o assunto e afirma que colesterol alto pode estar ligado à fatores genéticos

"Alimentação equilibrada auxilia no combate ao colesterol alto"
"Alimentação equilibrada auxilia no combate ao colesterol alto" - Shutterstock

por Redação SD
Publicado em 08/08/2021 às 14:30
Atualizado às 14:30

COMPARTILHEFacebook Saúde em DiaPinterest Saúde em Dia

Neste domingo (8/8), é comemorado o Dia Nacional de Combate ao Colesterol, data criada com o objetivo de chamar atenção da população para as consequências que o excesso de (LDL) conhecido como colesterol ruim pode trazer à saúde, como infarto, derrame e outras doenças cardiovasculares.

A Dra. Ana Salgado, endocrinologista da Casa de Saúde São José (RJ), analisa alguns mitos e verdades sobre o colesterol, que é um tipo de gordura importante para o funcionamento do organismo. Ele está presente no sangue e em todos os tecidos, contribuindo para a produção de muitos hormônios, de vitamina D, de ácidos envolvidos na digestão e também tem papel na regeneração das células. 

Tomar chá e comer berinjela fazem as taxas de colesterol caírem
Mito. De acordo com a médica, não é a berinjela especificamente que irá melhorar a condição e sim uma dieta balanceada, com legumes, verduras e fibra. “Devemos evitar gorduras, alimentos industrializados e carnes com alto teor de gordura, como carne vermelha e de porco”, explica. 

Comer ovo é prejudicial para o colesterol
Mito. Segundo Ana, o ovo não é o vilão e não há uma quantidade limite para sua ingestão por semana, por exemplo. “É recomendado evitar fritá-lo, especialmente com óleo ou manteiga”, aponta.  

Colesterol alto pode estar ligado a um fator genético
Verdade. Algumas pessoas, mesmo com uma dieta balanceada e praticando exercício físico, continuam apresentando índicos altos de colesterol no sangue. De acordo com Ana, isso pode ter ligação hereditária e é preciso fazer um acompanhamento médico, de um endocrinologista ou cardiologista para avaliar um tratamento medicamentoso.  

A pandemia contribuiu para que muitas pessoas apresentassem níveis altos de colesterol no sangue 
Verdade. Com o isolamento social grande parte da população deixou de se exercitar e também passou se alimentar de forma menos saudável. “Com o sedentarismo, aumento do consumo de álcool e piora nos hábitos alimentares, já sentimos os reflexos nos resultados dos pacientes. Além disso, muita gente deixou de ir ao médico nesse período e não fez um check up para acompanhar a saúde e realizar exames de rotina”, afirma.  

Colesterol afeta apenas adultos e idosos
Mito. De acordo com a médica, o excesso de colesterol pode afetar pessoas de todas as idades, inclusive crianças e adolescentes.  

Exercício físico e dieta balanceada são os melhores tratamentos
Verdade. Não há receita milagrosa e manter hábitos saudáveis, com atividades físicas regulares e uma alimentação equilibrada, é a melhor receita.  

Fonte: Dra. Ana Salgado, endocrinologista da Casa de Saúde São José (RJ).

Leia também