7 dicas de como cuidar da saúde

Médico explica como é possível alcançar uma vida mais saudável com hábitos do cotidiano

"Não importa o tipo de dança, o que vale é remexer o esqueleto"
"Não importa o tipo de dança, o que vale é remexer o esqueleto" - Shutterstock

por Redação SD
Publicado em 05/08/2021 às 11:35
Atualizado às 11:55

COMPARTILHEFacebook Saúde em DiaPinterest Saúde em Dia

No Dia Nacional da Saúde (5/8), pensar em como você está cuidando da sua saúde é inevitável. Além disso, é necessário fazer check-up  para investigar aquela dor que vem incomodando. Embora o acompanhamento médico seja importante para evitar e tratar doenças, uma boa saúde pode ser conquistada de diversas maneiras. 

“Cuidar do corpo e não cuidar da mente, por exemplo, é como usar um lençol curto: você cobre aqui e descobre ali. É fundamental a visita regular ao médico para prevenir e identificar o quanto antes algumas doenças".

Além disso, quando mencionamos cuidados com a saúde, não podemos deixar a felicidade, harmonia do dia e felicidade. É preciso haver equilíbrio mental, físico e orgânico”, ressalta o Dr. Felipe Ribeiro,  clínico geral e gerente médico do Complexo Hospital de Niterói (CHN).

Por isso, que tal seguir outras vias na busca pela saúde por meio de 7 dicas que podem ser atribuídas ao seu cotidiano? Confira abaixo: 

1. Jogue xadrez
Ao jogar xadrez, você exercita ambos os lados do cérebro, tornando-o mais ativo e saudável. Mas não é só isso: ajuda na concentração, desenvolve a criatividade, a autoconfiança e até mesmo treina a pessoa a agir com calma sob pressão.

2. Dance
Zumba, jazz, dança contemporânea, balé, frevo, uma criação sua. Não importa o tipo de dança, o que vale é remexer o esqueleto. Se quem canta seus males espanta, quem dança ativa gatilhos saudáveis tanto no corpo quanto na mente.

“A função cardiorrespiratória, a flexibilidade, o condicionamento aeróbico e o relaxamento com a liberação de hormônios do prazer são alguns dos benefícios que a dança pode proporcionar. Além disso, é uma atividade física democrática, já que não há restrição de idade”, comenta o Dr. Felipe Ribeiro, gerente médico do CHN.

3. Desapegue do que faz mal
Já ouviu falar em somatização? O acúmulo de problemas emocionais impactam diretamente não só na mente, mas também no corpo. Por isso, tire aquele peso das costas deixando para trás pessoas, situações e sentimentos passados que ecoam no presente.

4. Pense fora da caixa
Advinda de “thinking outside the box”, a expressão “pensar fora da caixa” é um estímulo à criatividade e à ousadia. Imprima essas características nas pequenas e grandes coisas para renovar a mente e a vida.

Vale iniciar aquele projeto que era apenas um sonho, empreender, se livrar de um relacionamento tóxico, inovar no trabalho ou procurar um que dê mais satisfação, deixar de lado crenças limitantes, seguir por um caminho diferente do usual para chegar ao seu destino diário ou ver as coisas sob uma perspectiva diferente.

5. Distraía a mente
Às vezes, uma pequena conversa pode conter informações importantes. Tudo bem puxar aquele “hoje vai chover, né?” com outra pessoa no elevador, mas tente variar o assunto. Você pode descobrir, por exemplo, que essa pessoa, moradora do seu prédio, faz por encomenda quentinhas fit, que era o que estava faltando para você se alimentar de forma mais saudável durante a semana. Ou ainda pode ser que flua um papo leve e bacana que vai alegrar o seu dia.

6. Seja solidário
Empatia deveria ser um compromisso. Praticar a solidariedade, seja para ajudar, ou se colocar no lugar do outro. Há estudos que associam a prática da solidariedade à liberação de endorfina, substância responsável pela sensação de bem-estar. Quem recebe não só fica feliz com a atitude como pode reproduzir a gentileza em uma saudável corrente do bem.

7. Aceite-se
Em tempos de empoderamento, especialmente feminino, a autoaceitação deve ser debatida e estimulada. Aceitar-se com as suas falhas, características físicas e limitações é um exercício árduo, porém necessário para a saúde mental e física. Esqueça as dietas mirabolantes que agridem o seu corpo, conviva pacificamente com os seus defeitos, não se compare com pessoas “perfeitas” nas mídias sociais. Isso traz liberdade, felicidade e autoestima, ou seja, traz saúde.

Fonte: Dr. Felipe Ribeiro,  clínico geral e gerente médico do Complexo Hospital de Niterói (CHN).

Leia também