Surto de dengue: saiba como identificar os primeiros sintomas

De acordo com o Ministério da Saúde, Brasil já registrou, apenas em 2022, quase o mesmo número de casos de dengue que no ano passado inteiro

Saiba como identificar os principais sintomas da dengue
Saiba como identificar os principais sintomas da dengue - Shutterstock

por Milena Vogado
Publicado em 04/05/2022 às 08:00
Atualizado às 08:00

Facebook Saúde em DiaPinterest Saúde em Dia

O país está enfrentando um novo surto de dengue. Os casos chegaram a 542 mil até o final de abril, contra 544 mil de todo o ano de 2021. O estado de São Paulo registrou a maior incidência de casos, com 126 mil. Dentre as cidades paulistas, predominam São José do Rio Preto e Votuporanga com as maiores concentrações. Votuporanga, inclusive, decretou epidemia de dengue no último mês.

A região do Centro-Oeste, contudo, apresenta o maior número de casos proporcionais, com mais de 920 casos a cada 100 mil habitantes. As cidades com maiores índices são as capitais Goiânia, Brasília e Palmas. Ainda segundo o Ministério da Saúde, em todo o país o número de óbitos já passa de 160.

Saiba quais são os principais sintomas

A transmissão da doença acontece pela picada do mosquito Aedes Aegypti, e pode causar desde uma reação assintomática até quadros graves com hemorragia e choque, podendo levar à morte.

Geralmente, o sintoma inicial da dengue é febre alta (de 39º a 40ºC), com início repentino. Com duração de 2 a 7 dias, a febre pode ser acompanhada de:

  • Dor de cabeça;
  • Dor no corpo e articulações;
  • Fraqueza;
  • Dor atrás dos olhos;
  • Erupções na pele;
  • Náuseas e vômitos.

Como a dengue se assemelha a diversas outras doenças, é importante consultar um médico em caso de suspeita. Após a fase febril, a maioria dos casos evolui para a recuperação e cura. A evolução para quadros mais graves pode ser notada através dos sintomas:

  • Dor abdominal intensa e contínua, ou abdômen sensível ao toque;
  • Vômitos persistentes;
  • Acúmulo de líquidos;
  • Sangramento de mucosas, principalmente nariz e gengivas;
  • Perda de sensibilidade e movimentos ou irritabilidade;
  • Tontura e queda de pressão em determinadas posições;
  • Choque (perda de um volume crítico de plasma - pode levar ao óbito em 12 a 24 horas se não for tratado com terapia antichoque apropriada).

Tratamento e prevenção

Em caso de suspeita, e principalmente agravamento dos sintomas, é imprescindível consultar um médico. Os casos de menor gravidade podem ser tratados em casa com repouso e ingestão de bastante líquido, já que não existem medicamentos específicos para combater o vírus.

Também não existe nenhuma vacina ou remédio antiviral. Então, a única saída é combater o mosquito transmissor da dengue. Saiba o que fazer em casa para prevenir a doença:

  • Mantenha o domicílio sempre limpo;
  • Evite qualquer acúmulo de água, pois isso contribui para a proliferação de mosquitos;
  • Utilize mosquiteiros e telas em janelas e portas nos casos de surto, como agora. Repelentes e inseticidas domésticos também ajudam.

Fontes: Ministério da Saúde e Pfizer.

Leia também