Sintomas de gripe podem se confundir com os da Covid-19

A perda de olfato, paladar e sonolência estão associados às duas doenças

Após a contaminação de gripe ou resfriado comum o portador do vírus pode levar de três a quatro dias para ter os sintomas
Após a contaminação de gripe ou resfriado comum o portador do vírus pode levar de três a quatro dias para ter os sintomas - Shutterstock

por Julia Natulini
Publicado em 25/05/2021 às 15:55
Atualizado às 15:55

COMPARTILHEFacebook Saúde em DiaPinterest Saúde em Dia

É comum confundir os sintomas da Covid-19 com a gripe ou resfriado, uma vez que ambos apresentam sintomas parecidos e a única maneira para diagnosticar é por meio dos exames.

Segundo o Dr. Marcelo Daher, infectologista tanto à Covid-19 como a influenza são doenças respiratórias, seja o modo de transmissão ou sintomas clínicos. Na fase inicial em ambas as doenças o paciente pode sentir mal-estar, coriza, tosse, febre e dores no peito.

Alguns sintomas como perda de olfato, paladar e sonolência também estão associados aos dois. Dentre as doenças, o resfriado é a que desaparece mais rapidamente. Já a COVID-19 parece à gripe. É um quadro febril que pode ter uma intensidade como a da gripe comum, com dor de cabeça e dor de garganta.

Como os sintomas são semelhantes, a comparação entre as doenças sem uma avaliação médica pode ser prejudicial ao paciente e à população, uma vez que o vírus que causa a Covid-19 é altamente transmissível.

Após a contaminação de gripe ou resfriado comum, o portador do vírus pode levar de três a quatro dias para manifestar os primeiros sintomas, diferente do período de contaminação da Covid-19, que leva de 5 até 14 dias para aparecer os sintomas.

“É fundamental realizar um exame como o PCR –RT com o objetivo de colher uma amostra das secreções respiratórias do paciente e logo após tentar identificar a presença do vírus para o diagnóstico de Covid-19”, explica.

Vacinação
A vacina é um mecanismo importante, seja contra a gripe ou para à Covid-19. Quanto mais pessoas vacinadas menor circulação de vírus, quanto maior o uso de máscara menos doenças respiratórias. Então, a vacinação é importante, o uso da máscara é importante. Isso tudo é um método de prevenção dessas doenças.

A gripe ocorre em toda faixa etária, mas os mais vulneráveis são as crianças e os idosos, pois para esse grupo a gripe pode evoluir de maneira desfavorável. “A complicação da gripe pode causar uma pneumonia viral ou bacteriana, internações hospitalares, descompensação de outras doenças e até mesmo o óbito".

O médico ressalta ainda que as gestantes também são muito vulneráveis à gripe, por isso é recomendada à vacina. “Os grupos prioritários para se vacinar contra a gripe, são as crianças até 5 anos de idade, idosos acima de 60 anos, pessoas com comorbidades e gestantes. Essas pessoas são consideradas o grupo do risco. “É importante que elas procurem as unidades de vacinação”, finaliza o infectologista.

Vale lembrar que quem já tomou a vacina da Covid-19 deve respeitar um intervalo de 14 dias entre as duas imunizações ou de outras vacinas.

Consultoria: Marcelo Daher, infectologista - consultor da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm)

Leia também