Como evitar a compulsão alimentar na pandemia

Ansiedade gerada pelo confinamento pode desequilibrar alimentação; entenda

Quando assaltar a geladeira vira um problema de saúde
Quando assaltar a geladeira vira um problema de saúde - Shutterstock

por Redação SD
Publicado em 08/09/2021 às 16:56
Atualizado às 16:56

COMPARTILHEFacebook Saúde em DiaPinterest Saúde em Dia

A pandemia de covid-19 causa inúmeros prejuízos para a saúde de todos, inclusive aqueles que não foram contaminados pelo vírus. Um dos principais métodos para evitar a proliferação do coronavírus é o isolamento social. E, de uma hora para outra, as pessoas se viram obrigadas a ficarem dentro de suas casas. Sair só se for necessário. Se possível, permanecerem confinadas mesmo durante o trabalho, com o sistema home office.

No início algumas pessoas até gostaram da ideia de passar mais tempo em casa. Mas, com o passar dos meses, alguns efeitos colaterais dessa situação começaram a aparecer. Muitas pessoas que engordaram nesse período nem sabem ao certo por qual motivo isso aconteceu. No entanto, não negam que, dentro de casa, nem sempre existe ânimo para praticar exercício físico, mas para assaltar a geladeira não falta disposição.

O fácil acesso à comida é um fator primordial para que ocorra uma compulsão. "A alimentação pode ser uma forma de escape utilizada pela população para lidar com o atual contexto social. Contudo é necessário estar atento as mudanças alimentares durante o período", explica Cyntia Maureen, nutricionista da Superbom.

Ansiedade pode engordar

Um motivo que agrava a situação é a condição emocional das pessoas. O medo de ser contaminado e o estresse por não poder realizar atividades de lazer podem gerar ansiedade. "A ansiedade humana se manifesta de maneira diferente, de acordo com estímulos e situações do cotidiano. Na maioria das vezes ela é sempre uma resposta ao medo”, conta a psicóloga, Carine Lopes, da Zero Barreiras.

De acordo com Lopes, o grande problema é quando esses medos impedem as pessoas de realizarem tarefas do cotidiano. O que alguns fazem para amenizar essas sensações é buscar prazer na comida. Mas, dificilmente optam por alimentos saudáveis e quantidades moderadas. Pessoas ansiosas, geralmente, preferem comidas industrializadas, rápidas e calóricas.

De acordo com Ricardo Jonathan Feldman, psiquiatra do Hospital Israelita Albert Einstein, isso tem uma explicação científica. “O ato de comer leva a liberação de substâncias que trazem sensação de prazer ao corpo. Isso é importante para que sejamos estimulados a nos alimentar, caso contrário morreríamos de fome”, explica.

Pessoas tristes e angustiadas, porém, podem usar esse mecanismo de forma inconsciente e abusar da comida sem perceber. Transformar isso em uma rotina pode gerar uma compulsão alimentar severa, algo que impacta diretamente a saúde física e mental do indivíduo. Gera ganho de peso e pode, inclusive, agravar o quadro ansioso.

Como evitar a compulsão alimentar

Para não deixar que a comida domine a mente é preciso prestar atenção nos hábitos cotidianos. E na pandemia esse cuidado deve ser redobrado, conforme explica a nutricionista Maureen: "é fundamental buscar formas alternativas de alimentação, que tenha propriedades mais saudáveis e que estimulem uma rotina equilibrada".

Rever outras condutas – além das alimentares – também pode ser uma boa saída para evitar quadros graves de compulsão alimentar. "Uma excelente opção para não descontar o emocional na comida é encontrar atividades mais eficientes, como a prática de exercícios físicos e uma rotina regular de sono. Esses cuidados podem auxiliar na redução de sintomas como a ansiedade e angústia, infelizmente mais comuns durante a pandemia", afirma a nutricionista.

Vale ressaltar que muitas vezes é necessário um acompanhamento multidisciplinar com médicos e nutricionistas para reverter o quadro. Procurar ajuda especializada é a garantia de tratar corretamente o problema.

Leia também