Câncer de mama: saiba como realizar o autoexame

Ginecologista ressalta que, apesar de ser fundamental, avaliação caseira não descarta acompanhamento médico

Autoexame deve estar presente na rotina das mulheres
Autoexame deve estar presente na rotina das mulheres - Shutterstock

por Redação SD
Publicado em 20/10/2021 às 15:00
Atualizado às 15:00

COMPARTILHEFacebook Saúde em DiaPinterest Saúde em Dia

Neste mês é celebrado o Outubro Rosa, um movimento internacional que promove a conscientização da população sobre a prevenção contra o câncer de mama. Um dos tumores que mais atingem as mulheres no Brasil e no mundo. De acordo com dados do INCA (Instituto Nacional do Câncer), a doença já matou mais de 18 mil pessoas no Brasil, apenas em 2021.

Números alarmantes e que precisam diminuir. Para isso, é fundamental que as mulheres saibam realizar corretamente o autoexame. Uma prática simples e eficiente para encontrar possíveis indícios do câncer de mama. “O autoexame das mamas tem como finalidade principal o autoconhecimento, pois permite que a mulher conheça o próprio corpo e identifique alterações que possam surgir”, conta Juliana De Biagi, médica ginecologista, obstetra e professora do Mackenzie.

De acordo com a especialista, todas as mulheres com mais de 20 anos de idade devem incluir o autoexame em sua rotina. Para aquelas que menstruam, a indicação é realizar o exame após o período de menstruação. Já o restante pode escolher um dia fixo no mês.

“Inicie o autoexame fazendo uma observação em frente ao espelho, levante e abaixe os braços e depois coloque as mãos na cintura para verificar se apresenta alguma alteração visual. A segunda etapa pode ser realizada em pé ou deitada, muitas mulheres gostam de fazer o autoexame durante o banho. Com o braço atrás da nuca, você irá palpar a mama e as axilas com a mão contrária e pressionar suavemente os mamilos. Observe se ocorre saída de secreção. Repita o processo na outra mama”, indica a médica.

O autoexame deve ser realizado, pelo menos, uma vez por mês. Caso qualquer anormalidade seja identificada, a paciente deve procurar ajuda médica o quanto antes. Vale lembrar que a detecção precoce do problema é um dos principais fatores de cura do câncer de mama. Quanto antes a doença for diagnosticada, mais fácil será o tratamento.

Importante – “O autoexame da mama não é um exame de rastreio para o câncer, isso significa que mesmo que você não encontre qualquer alteração, a consulta anual com ginecologista é indispensável”, finaliza a Dra. De Biagi.

ONG Orientavida

ONG Orientavida vem promovendo a campanha Pense Rosa, que ajuda mulheres que estão na fila de espera do SUS (Sistema Único de Saúde) a realizarem mamografias. A cada 12 pulseiras vendidas no site da ONG, a venda é revertida em um combo de diagnóstico de câncer de mama. Até agosto deste ano, 11 mil mamografias foram realizadas. A meta da ONG Orientavida é atingir 15 mil até dezembro de 2021. Participe!

Fonte: Juliana De Biagi, médica ginecologista, obstetra e professora. Possui graduação em Medicina pela Faculdade Evangélica do Paraná (2009). Residência Médica em Ginecologia e Obstetrícia pelo Hospital Santa Casa de Curitiba. Título de Especialista em Ginecologia e Obstetrícia pela FEBRASGO. Especialização em Uroginecologia e Disfunções do Assoalho Pélvico pela FMUSP. Professora auxiliar da Faculdade Evangélica Mackenzie do Paraná (FEMPAR) na disciplina de Saúde da Família e Comunidade II.

Leia também