Primeira menstruação: 7 coisas que sua filha precisa saber

Médicos esclarecem as principais dúvidas sobre o assunto e dão dicas preciosas

Primeira menstruação precisa ter diálogo aberto
Primeira menstruação precisa ter diálogo aberto - Shutterstock

por Redação SD
Publicado em 23/10/2021 às 12:00
Atualizado às 15:00

COMPARTILHEFacebook Saúde em DiaPinterest Saúde em Dia

A primeira menstruação, infelizmente, ainda é cercada por tabus e mitos. Temas relacionados à saúde íntima feminina, no geral, possuem algumas barreiras que precisam ser quebradas o quanto antes. Para isso, a única saída é falar abertamente sobre o assunto, sem amarras e julgamentos. Quanto mais informações verdadeiras, menor será o risco de ter algum problema no futuro.

Para acabar de vez com esses mitos, consultamos dois especialistas: a obstetriz Mariana Betioli e o ginecologista Gustavo Barison. Os dois separaram as 7 principais coisas que sua filha deve saber sobre a primeira menstruação. Confira:

1 – Secreções podem acontecer

"Ela pode mudar de aspecto em algumas situações, como, por exemplo, durante as diversas fases do ciclo menstrual. Mas é necessário prestar atenção na cor da secreção e alguns outros sintomas para poder identificar quando algo não vai bem”, aponta Mariana.

2 – Vale a pena apostar em calcinhas menstruais

“É uma alternativa que vem se destacando por sua praticidade. Ao mesmo tempo que remonta aos tecidos usados pelas mulheres de outros tempos, a modernidade do material com que a peça é fabricada faz com que o sangue não vaze”, aponta a obstetriz.

3 – Os ciclos podem ser irregulares, principalmente no começo

"Estes ciclos são chamados de anovulatórios, ou seja, a mulher apresenta falhas na ovulação, pois a produção hormonal está incipiente. Os sinais comuns incluem o sangramento irregular, meses sem apresentar menstruação e meses com maior fluxo, porém ao longo do tempo estes vão se regulando", explica o Gustavo.

4 – Vem tensão pré-menstrual (TPM) por aí

De acordo com Gustavo, sintomas como a alteração de humor são decorrentes da liberação da catecolamina (hormônio) e das citosinas inflamatórias (proteína), além dos efeitos hormonais decorrentes da proximidade do ciclo menstrual. "Estes podem gerar desconfortos na vida da mulher como cólicas, mal-estar e alterações hormonais que são comuns nesta fase pré-menstrual", diz o ginecologista.

5 – Coletor menstrual não interfere na virgindade

O coletor menstrual funciona como se fosse um copinho para retirar o sangue durante o processo menstrual. De acordo com Mariana, o produto é seguro e não tem relação com a virgindade. "O conceito de virgindade é relativo e precisa ser analisado com cautela. Homens e mulheres deixam de ser virgens quando acontece a primeira relação sexual”, afirma.

6 – As cólicas são normais

“As dores que sentimos vem da contração do útero para expelir o sangue. A tendência é que esse incômodo se alivie com o passar dos anos”, diz Mariana. “Muitas vezes, a paciente pode apresentar ciclos irregulares e contrações uterinas irregulares que podem causar a dor", completa Gustavo.

7 – Procure um ginecologista

Imediatamente após a primeira menstruação, um médico ginecologista deve ser acionado. Ele fará perguntas sobre o processo, analisará o caso e dará as coordenadas necessárias sobre higiene e cuidados. “E se ela quiser entrar sozinha no consultório, mesmo que sua mãe ou algum responsável a tenha acompanhado até o local, saiba que é um direito dela”, finaliza Mariana.

Fonte: Alto Astral

Leia também