Anticoncepcional masculino promete agir sem causar desequilíbrios hormonais

Produto desenvolvido por pesquisadora alemã, COSO ainda está em fase de testes

COSO funciona com ondas de ultrassom
COSO funciona com ondas de ultrassom - Foto: Reprodução Instagram @coso.contraception

por Redação SD
Publicado em 26/10/2021 às 08:00
Atualizado às 08:00

COMPARTILHEFacebook Saúde em DiaPinterest Saúde em Dia

O COSO, anticoncepcional masculino desenvolvido pela cientista alemã Rebecca Weiss pode ser um novo marco tecnológico para a humanidade. Após décadas em que, praticamente, só existiam contraceptivos femininos no mercado, o novo produto – ainda em fase de testes – pode ser revolucionário. Ao contrário dos outros métodos – que podem provocar desequilíbrios hormonais e prejuízos para a saúde de quem usa – o novo meio promete ser indolor e, até o momento, sem danos para o organismo.

A ideia nasceu após a criadora do COSO, Rebecca Weiss, desenvolver câncer no colo do útero, possivelmente, por causa do uso contínuo de pílulas anticoncepcionais. Após esse episódio a cientista resolveu procurar outros meios contraceptivos e só encontrou opções para uso feminino. Foi aí que ela teve a iniciativa de produzir um produto masculino.

O novo anticoncepcional masculino é como se fosse um pequeno recipiente capaz de produzir estímulos de ultrassom, que neutralizam a ação dos espermatozoides temporariamente. O novo método ficou conhecido popularmente como “banho nos testículos”, pois a sensação de quem o usa é muito semelhante à essa.

“No método, banha-se a bolsa testicular ou escroto em uma água morna com ondas de ultrassom e isto leva a alteração da motilidade dos espermatozoides. Como se eles ficassem bêbados parados e com isso não conseguissem migrar para fertilizar o óvulo”, explica o Dr. Conrado Alvarenga, urologista e especialista em andrologia e infertilidade masculina.

De acordo com o especialista, ainda não foram realizados testes em humanos. No entanto, nenhum experimento realizado até o momento identificou algum efeito colateral provocado pelo COSO. O produto já foi, inclusive, premiado na competição internacional de design James Dyson Awards.

A novidade também já ganhou repercussão e notoriedade mundial. Além de gerar imensas expectativas nas mulheres que sofrem com os constantes efeitos colaterais dos anticoncepcionais. Para o Dr. Alvarenga, o COSO não deverá ser um produto caro e isso facilitará o acesso de toda a população.

“Muito se busca ainda para métodos dê anticoncepção masculina, mas devemos lembrar que a vasectomia é um procedimento rápido, simples, de baixo custo e com taxas de sucessos altíssimas”, finaliza o médico.

Fonte: Dr. Conrado Alvarenga, urologista e especialista em andrologia e infertilidade masculina do LabSaúde Reprodutiva.

Leia também