Em tratamento contra o câncer, Rita Lee lança single; entenda a doença da cantora

Diagnosticada em maio desse ano com câncer no pulmão esquerdo, artista reaparece nas redes

Novo trabalho da cantora anima fãs
Novo trabalho da cantora anima fãs - Reprodução Instagram @roberto_de_carvalho

por Redação SD
Publicado em 24/09/2021 às 14:00
Atualizado às 14:00

COMPARTILHEFacebook Saúde em DiaPinterest Saúde em Dia

A cantora Rita Lee, de 73 anos de idade, foi diagnosticada com câncer no pulmão esquerdo, em maio desse ano. Desde então, em tratamento contra a doença, a artista se afastou um pouco das redes sociais. Porém, nesta quinta-feira (23), ela anunciou o lançamento de seu mais novo single “Change”, em parceria com seu marido Roberto de Carvalho e o músico e compositor Gui Boratto.

A aparição é uma ótima notícia para os fãs da cantora, que torcem para sua rápida recuperação. E também coincide com a exposição "Samsung Rock Exhibition - Rita Lee", no MIS (Museu da Imagem e do Som de São Paulo), que reúne grandes memórias e lembranças dos 50 anos de carreira da artista.

O câncer de pulmão, doença que acometeu Rita Lee esse ano, de acordo com INCA (Instituto Nacional de Câncer), é o tumor mais comum entre homens e mulheres no Brasil. Uma das principais causas do problema é o tabagismo e a exposição passiva e constante ao tabaco, substância presentes no cigarro.

Para a Dra. Mariana Laloni, oncologista do CPO Oncoclínicas os primeiros indícios de problemas graves no pulmão são tosse frequente, falta de ar e dor no peito. “Em outros casos, a pessoa pode perder peso e sentir fraqueza. Em cerca de 15% das vezes, o tumor é diagnosticado por acaso, quando o paciente realiza exames por outros motivos. Por isso, a atenção aos primeiros sintomas é essencial para que seja realizado o diagnóstico precoce da doença, o que contribui amplamente para o sucesso do tratamento”, diz.

Identificar a formação dos primeiros tumores logo no início é fundamental para se obter êxito no tratamento. E, segundo a oncologista Milena Ribeiro, o diagnostico é realizado por meio de exames clínicos como tomografias e biópsias. Por isso, é importante realizar check-ups médicos com certa frequência.

“Na maioria dos casos esse tumor primário surge em um único órgão e no caso dos pulmões, inicia o seu desenvolvimento apenas em um lado. À medida que a doença evolui, pode apresentar lesões também no pulmão contralateral”, explica a Dra. Milena.

O tratamento pode ser realizado com o uso de medicamentos, quimioterapia, imunoterapia e até mesmo procedimentos cirúrgicos. Tudo vai depender das individualidades de cada paciente. Segundo o jornal Folha de S. Paulo, o tratamento que Rita Lee recebe atualmente é a radioterapia. Método que utiliza radiações para destruir células cancerígenas e impedir que elas aumentem no organismo.  

Fontes: Dra. Mariana Laloni, oncologista do CPO Oncoclínicas / Milena Ribeiro, oncologista / jornal Folha de São Paulo.

Leia também