Dor crônica pode ser aliviada com antidepressivos? Entenda

Medicamentos prescritos costumam gerar dúvidas nos pacientes, que acabam não aderindo ao tratamento. Saiba como combater a dor crônica

Entenda o tratamento para dor crônica
Entenda o tratamento para dor crônica - Shutterstock

por Redação SD
Publicado em 20/01/2022 às 16:00
Atualizado às 16:00

Facebook Saúde em DiaPinterest Saúde em Dia

A dor crônica é uma das piores condições que alguém pode enfrentar. Com diversas causas possíveis, ela tem o poder de afetar muitas regiões do corpo, interferindo negativamente na qualidade de vida e no bem-estar do paciente. Como se não bastasse, encontrar a origem do problema também não é uma tarefa simples, já que, em certos casos, nem os exames conseguem decifrar o que ocorre no organismo.

Esse são alguns dos motivos que fazem o tratamento para a dor crônica ser algo complexo para os pacientes. Não é raro que a prescrição de medicamentos mais ortodoxos, como anti-inflamatórios e analgésicos comuns não consigam amenizar a situação. Mas, em casos dessa natureza, a utilização de um antidepressivo, por exemplo, pode surtir efeito positivo.

De acordo com a Dra. Amelie Falconi, médica especialista em dor pela Santa Casa-SP e professora da pós-graduação de dor da Unidade de Ensino do Einstein-RJ, os antidepressivos são remédios adjuvantes no tratamento da dor crônica e funcionam alterando a forma com que os nervos processam essa dor. Reduzindo, assim, a sensibilização central. Mas, explicar isso ao paciente é fundamental para obter sucesso no combate ao problema.

“Sempre que eu prescrevo um antidepressivo para um paciente com dor crônica eu gasto um tempo da minha consulta explicando o porquê. Muitos já passaram por outros médicos que também prescreveram, porém, não aderiram ao tratamento, justamente por acharem estranho uma prescrição de antidepressivo”, relata a médica.

Além de não entenderem muito bem o motivo da prescrição de um antidepressivo para o tratamento de dor crônica, os pacientes ainda podem se sentir, de certa maneira, desamparados pelo médico. Já que, em alguns casos, nem mesmo exames conseguem detectar o motivo do problema.

“Muitos pacientes sofrem com os estigmas relacionados com as dores crônicas, entre eles o fato de a dor não aparecer em exames, que as dores deles são psicológicas, que as pessoas não acreditam em suas próprias dores, ou que eles utilizam as dores para chamar atenção. Então, se o médico não explica o porquê, e prescreve um antidepressivo para dor, o paciente vai pensar que ele é mais uma pessoa que não acredita na sua dor”, explica a Dra. Falconi.

Por fim, vale lembrar que apenas um médico pode prescrever a utilização de um antidepressivo. E, além de nem todos os medicamentos dessa classe terem o poder de aliviar dores crônicas, você ainda poderá colocar sua integridade em risco – até mesmo agravando o problema – ao utilizar um remédio por conta própria, ou indicação de alguém não capacitado.

“Sempre retire todas suas dúvidas com o seu médico. Ele que avaliou você, conhece o seu caso e é a melhor pessoa para esclarecer”, finaliza a Dra. Falconi.

Leia também