O que é a cefaleia refratária, causa das dores de cabeça de Virginia

A influencer segue internada desde o dia 15 em hospital de São Paulo, que emitiu nota com o diagnóstico de cefaleia refratária

Virginia Fonseca, diagnosticada com cefaleia refratária
Virginia Fonseca, diagnosticada com cefaleia refratária - Reprodução Instagram @virginia

por Milena Vogado
Publicado em 19/05/2022 às 11:00
Atualizado às 11:00

Facebook Saúde em DiaPinterest Saúde em Dia

Virginia Fonseca, influenciadora e esposa do cantor Zé Felipe, internada desde o dia 15 em São Paulo, finalmente descobriu a causa das suas dores de cabeça: trata-se de cefaleia refratária, ou enxaqueca refratária. Para tratar este tipo de cefaleia, é necessário testar diferentes tipos e dosagens de medicamentos. O que não pode ser feito com Virginia, que está grávida de 3 meses.

“A cefaleia refratária se trata de dores de cabeça comuns, porém constantes, que possuem um difícil tratamento e que não respondem a qualquer medicamento”, explica o Dr. Wanderley Cerqueira de Lima, Neurocirurgião e Neurologista do Hospital Albert Einstein. Por isso, o tratamento imediato da dor é tão difícil.

Cefaleia refratária no caso de gravidez

O Dr. Wanderley confirma que o caso de Virginia é especial. “Como a influenciadora está grávida, a dificuldade no tratamento é um pouco mais delicada pois ela não pode ser submetida a qualquer tipo de medicação, uma vez que a condição merece cuidado extra. O que ocorre é que, ao ministrar medicamentos, temos que ter cuidado para que eles não passem para a placenta e atinja o bebê”, justifica o especialista.

Em razão disso, Virgínia terá de continuar internada em repouso. A influenciadora segue postando sua rotina de internação nos stories do Instagram.

Gravidade do caso

O neurologista explica que, apesar de se tratar de dores constantes e com um difícil tratamento, a cefaleia refratária de Virginia não chega a ser perigosa e nem incomum. “A condição dela não será perigosa desde que sejam feitos todos os exames necessários, e que não seja constatada nenhuma lesão estrutural, uma lesão no cérebro como um tumor, por exemplo”, afirma Dr. Wanderley.

O tratamento para cefaleia refratária costuma ser medicamentoso. No caso de gravidez, é indicado somente o repouso. “A principal dificuldade nesse momento é adaptar o tratamento, também por conta da gestação, na qual os médicos terão que ter cuidado ao prescrever, pois o tratamento da cefaleia refratária é exatamente ir testando os medicamentos até encontrar um que resolva a situação”, finaliza o médico.

Leia a nota na íntegra:

“São Paulo, 17 de maio de 2022 – O Hospital Vila Nova Star informa que a senhora Virgínia Pimenta da Fonseca Serrano está internada desde o dia 15 de maio de 2022 devido a um quadro de cefaleia refratária à analgesia convencional. A paciente está no quarto, estável e consciente, recebendo medicações venosas para controle da dor. A avaliação obstétrica diária demonstra que a gestação transcorre normalmente, sem intercorrências, e o feto encontra-se com boa vitalidade”.

Leia também