#foradostory, você tá bem?

O meme que viralizou essa semana "fora do story, você tá bem?", é uma referência a vida perfeita mostrada nas redes sociais

"Fora do story, você tá bem?"
"Fora do story, você tá bem?" - Shutterstock

por Julia Natulini
Publicado em 21/08/2021 às 10:00
Atualizado às 10:00

COMPARTILHEFacebook Saúde em DiaPinterest Saúde em Dia

No início da pandemia em 2020, a busca por atendimento no Google chegou a 88%, enquanto na semana de maior popularidade do assunto, em 2019, a procura era de apenas 11%. Depois de dois meses de quarentena, a busca ainda continuava alta, em 76%.

No entanto, a procura por terapia ainda é um tabu para grande parte da sociedade, fora da terapia você tá bem?

O meme que viralizou essa semana "fora do story, você tá bem?", é uma referência a vida perfeita que as pessoas mostram na internet e tantas outras, sofrem com comparações e a busca incessante pela grama do vizinho, que sempre é mais verde.

Investir em terapia, no autocuidado mental, no bem-estar e entender que cada jornada é única, é estar bem. Beto Colombo, especialista em filosofia clínica defende a prática para quem enfrenta dificuldades com a saúde mental.

"Percebi que com a pandemia muitas pessoas se perderam delas mesmas quando o planejamento de vida teve que ser reorganizado, essas pessoas quebraram seus roteiros e acharam que quebrar o roteiro era quebrar na vida. Muitas pessoas foram demitidas, e passaram por dificuldades, que ocasionaram em casos de ansiedade e síndrome de pânico".

Segundo Colombo, a princípio, os partilhantes buscam suporte psíquico por uma queixa específica, que é o ponto inicial a ser trabalhado. O terapeuta esclarece que em seguida parte para a historicidade, desde sua primeira lembrança de infância até os dias atuais. Com a história de vida identificada, ele localiza a pessoa existencialmente no tempo, lugar, relação e circunstância, identificando os tópicos importantes, e determinantes de como a pessoa funciona.

Beto relata que na pandemia se aperfeiçoou em terapias para casais e resolução de conflitos entre grupos de pessoas, tendo em vista a alta demanda.

"A segurança psíquica a meu ver é clínica preventiva nas questões existenciais, como por exemplo, se antecipar a uma ansiedade que poderá talvez virar pânico, a uma tristeza contínua que poderá desencadear em algo mais sério".

Atualmente muitas pessoas sabem como funciona um computador, um automóvel, por exemplo, mas sabem pouco ou quase nada sobre elas mesmas.

"A terapia filosófica clínica visa ajudar as pessoas a se entenderem melhor, a saber como lidar com situações que acontecem, com sentimentos equívocos, de onde vem seus altos e baixos entre tantas outras queixas. É uma oportunidade de autoconhecimento", garante Beto.

Fonte: Beto Colombo,professor, terapeuta, mentor, conselheiro empresarial, palestrante e escritor.

Leia também