Tratamento estético na região dos olhos é um dos favoritos na pandemia; entenda

Especialistas explicam como os procedimentos devem ser avaliados antes da decisão de mudar

"Uma das consequências faciais do envelhecimento é a queda natural das sobrancelhas"
"Uma das consequências faciais do envelhecimento é a queda natural das sobrancelhas" - Shutterstock

por Redação SD
Publicado em 01/08/2021 às 14:30
Atualizado às 14:30

COMPARTILHEFacebook Saúde em DiaPinterest Saúde em Dia

Devido a pandemia e o uso excessivo de máscara na rua e ambientes fechados, o foco está nos olhos e a busca por procedimentos também. O Instituto Andrea Tedesco, no Rio de Janeiro, criou o protocolo Expert Eyes, que associa diferentes tratamentos para a melhora desta região. Por meio dele, é possível combater diferentes aspectos, como flacidez de pele, perda de colágeno, escurecimento e falta de volume, sem perder a naturalidade. 

Andrea Tedesco, pioneira na Harmonização Orofacial no Rio de Janeiro é referência nacional na área, conta que dentre as técnicas mais utilizadas nesse protocolo estão: preenchimento com ácido hialurônico, toxina botulínica, fios de PDO, peelings químicos, jato de plasma, microagulhamento robótico, intradermoterapia e skinboosters.

A especialista explica que a sensação de “olhar cansado” pode ser causada por regiões ao redor da órbita e, por isso, o Expert Eyes também é indicado para tratamento da fronte, têmporas e malar. 

"Quando as regiões periorbitais e malar perdem volume, elas causam um aspecto de cansaço na fisionomia. Tratar esses locais de forma específica, multidisciplinar e integrada garante melhores resultados”, afirma.

De acordo com Andrea, a região periorbital é uma das mais complexas de serem abordadas na harmonização facial e o Instituto Andrea Tedesco é referência no curso “Expert Eyes”. O espaço promove um novo conceito de saúde e estética, uma clínica multidisciplinar que, desde 2018, já formou cerca de 700 alunos, com cursos de todos os valores e públicos.

Já a cirurgiã plástica Juliana Sales, especialista em cosmiatria, também do RJ, afirma que é nítido o aumento da busca em seu consultório pelo lifting de sobrancelhas, técnica usada para levantar o olhar.

De acordo com a médica, uma das consequências faciais do envelhecimento é a queda natural das sobrancelhas, que leva a um aspecto de cansaço e compromete a jovialidade do rosto. Existem dois fatores causadores deste envelhecimento: a queda da própria região frontal (testa) e o excesso de pele nas pálpebras.

“Por meio da elevação da testa, a toxina botulínica (botox), pode corrigir ou amenizar essa queixa, dependendo do grau de ptose (queda). Quando também existe excesso de pele, pode ser necessária a blefaroplastia (plástica de pálpebras) para retirada do excesso de pele local. 

O arsenal de procedimentos para um efeito “Lifting de sobrancelhas” é grande e conta ainda com os fios de sustentação e tecnologias, como o ultrassom microfocado, que, através de estímulo de colágeno promove amenização do quadro”, afirma Juliana.

Dentre os procedimentos que fazem o lifting, enquanto o botox age paralisando a musculatura, a técnica de “fios de sustentação” é feita em seguida da análise facial, em que os fios são colocados com anestesia local e os mesmos tracionados permitindo o ajuste da suspensão e simetrização dos lados.

Por fim, porém não menos importante, a blefaroplastia permite a correção do excesso de pele das pálpebras (superior e/ou inferior) com retirada de bolsas palpebrais, caso seja necessário.

Consultorias: Andrea Tedesco, pioneira na Harmonização Orofacial no Rio de Janeiro e cirurgiã plástica Juliana Sales, especialista em cosmiatria.

Leia também