Câncer de pele: cuidado redobrado com a chegada do calor

Fim do inverno já apresenta aumento do sol em algumas regiões e aumenta alerta para cuidados com a pele

Índice ultravioleta (UV) costuma ser maior no calor
Índice ultravioleta (UV) costuma ser maior no calor - Shutterstock

por Redação SD
Publicado em 08/09/2021 às 13:46
Atualizado às 13:46

COMPARTILHEFacebook Saúde em DiaPinterest Saúde em Dia

O inverno vai até o dia 22 de setembro, mas o tempo seco e a chegada da primavera servem de alerta para o câncer de pele. É importante tomar cuidados todos os dias do ano, se hidratar e utilizar protetor sempre que houver exposição solar. Acontece que, durante o período de frio, onde o sol fica mais tímido, é comum que as pessoas diminuam os cuidados. Algo que não é recomendado.

No entanto, nas últimas semanas algumas regiões do Brasil apresentaram um aumento da temperatura, mesmo no inverno. É a primavera que está chegando, para alegrar o ambiente lá fora. Um incentivo e tanto para realizar atividades físicas ao ar livre, passear ou simplesmente aproveitar um pouco da natureza. Ótimas ideias para melhorar a saúde como um todo, seja na parte física ou mental. Mas, não se pode esquecer de quem recebe o primeiro impacto de todos esses novos hábitos: a pele.

Além dos cuidados ao sair na rua, também é preciso ficar atento à outras exposições, em casa ou no trânsito. “Os cuidados devem permanecer, principalmente quando se está em ambiente interno próximo de janelas que permitem a entrada da luz solar, não sendo capaz de filtrar os raios ultravioletas", adverte a médica oncologista do Centro Paulista de Oncologia (CPO), Sheila Ferreira.

De acordo com dados do Instituto Nacional de Câncer (INCA), 30% de todos os tumores malignos registrados Brasil são na pele. Por isso a atenção deve ser constante. Ficar de olho em manchas e feridas na pele é primeiro passo para identificar e resolver um possível problema o quanto antes. De acordo com a médica, quanto antes ocorrer o diagnóstico, mais efetivo será o tratamento.

"Fatores como hereditariedade, trabalhos que exigem maior exposição solar e portadores de imunossupressão têm risco aumentado e todo tipo de pele deve ser considerada, inclusive a negra, que costuma desenvolver um melanoma particular e agressivo", pontua Sheila.

E para a especialista, o filtro solar ainda é a melhor maneira de prevenir doenças na pele. "O filtro deve ser aplicado diariamente, repassado a cada duas horas e após o contato da pele com a água. Proteger bebês e crianças é especialmente importante: antes dos seis meses, mantenha-os fora do sol e com roupas protetoras. Após essa idade, já podem usar protetor", explica a oncologista.

Fonte: Alto Astral

Leia também