Varizes: especialistas explicam como lidar com a condição

Para além do incômodo estético, as varizes podem causar dor e desconforto. Entenda o que você deve evitar e o que pode fazer para diminuir o problema

Varizes: o que fazer e não fazer de acordo com especialistas
Varizes: o que fazer e não fazer de acordo com especialistas - Shutterstock

por Milena Vogado
Publicado em 19/05/2022 às 10:00
Atualizado às 10:00

Facebook Saúde em DiaPinterest Saúde em Dia

Esteticamente desconfortáveis, as varizes podem causar sérios riscos à saúde circulatória. Ao provocar a dilatação das veias, elas atrapalham o retorno do sangue das extremidades do corpo ao coração. 

O  cirurgião vascular e membro da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular (SBACV) Dr. Márcio Steinbruch explica que as varizes aparecem mais frequentemente nas pernas, região onde o bombeamento do sangue é feito contra a força da gravidade.  

"Neste caso, é feito com o auxílio da panturrilha, junto às válvulas presentes nos vasos, mas quando há muita pressão dentro deles pode estimular a dilatação e, assim, surgirem as varizes”, explica o especialista.

São múltiplas as causas do surgimento das varizes. A predisposição genética pode facilitar seu desenvolvimento, assim como o sedentarismo, a obesidade e o tabagismo. Para quem já notou a presença de varizes no corpo, existem algumas iniciativas que podem ajudar a melhorar a condição. Em contrapartida, há também as atitudes que devem ser evitadas.

O que não fazer

De acordo com o Dr. Steinbruch, ficar muito tempo em pé pode causar varizes. Isso porque “a contração muscular é fundamental para o retorno venoso, e quando a pessoa fica nessa posição por muito tempo, os membros inferiores não recebem estímulos e, com a força da gravidade, o percurso do sangue das extremidades do organismo ao coração fica prejudicado”, explica.

Utilizar salto alto por um longo período quando já se tem predisposição, ou até mesmo sinais de varizes, também é arriscado. De acordo com a Dra. Helen Pessoni, especialista em Cirurgia Vascular, o salto alto não é o causador das varizes, mas um favorecedor quando combinado a outros fatores de risco.

"O ideal é evitar usar continuamente sapatos muito altos e variar entre os diferentes tamanhos de altura de saltos. Assim, a dinâmica circulatória não será tão brutalmente afetada e o bombeamento do sangue venoso ocorrerá de forma mais fluída”, recomenda.

Outra recomendação é evitar exercícios de alto impacto que podem piorar e agravar o inchaço das varizes. Este é um alerta da cirurgiã vascular Dra. Aline Lamaita, que indica evitar também halterofilismo e pede cuidado com levantamentos e agachamentos. “O aumento da pressão abdominal durante estes exercícios pode aumentar a pressão nas veias da perna e contribuir para o aumento da varicela”, comenta.

O que fazer para aliviar as varizes

A Dra. Aline indica a caminhada. “O único exercício para circulação de baixo impacto, que irá mantê-lo apto enquanto alonga e fortalece os músculos da panturrilha”, afirma. Ela recomenda uma caminhada de 30 minutos ao menos cinco vezes por semana.

A especialista também sugere a prática de alguns esportes, como ciclismo, spinning e natação. A última é “uma excelente atividade para varizes porque as pernas são horizontais, os músculos estão se exercitando e a pressão externa da água na piscina pode até ajudar suas pernas”, como explica a médica.

Há uma alternativa para quem ainda é refém do sedentarismo: gire os tornozelos e balance seus pés para frente e para trás no chão. Essa atividade simples aumentará o fluxo sanguíneo nas veias e reduzirá o risco de coagulação. “É especialmente útil quando é obrigado a ficar sentado por longos períodos de tempo”, finaliza a médica.

Leia também