Prótese peniana é um dos últimos recursos para o tratamento da disfunção erétil

Procedimento é indicado quando outras opção não surtem o efeito esperado. Entenda o que é a prótese peniana

Prótese peniana ocorre por meio de intervenção cirúrgica
Prótese peniana ocorre por meio de intervenção cirúrgica - Shutterstock

por Redação SD
Publicado em 13/04/2022 às 10:40
Atualizado às 10:40

Facebook Saúde em DiaPinterest Saúde em Dia

A prótese peniana ganhou uma grande repercussão nos últimos dias. Tudo após alguns parlamentares afirmarem que vão acionar o MPF (Ministério Público Federal) e o TCU (Tribunal de Contas da União) para apurar um suposto gasto de, aproximadamente, R$ 3,5 milhões em compras de próteses penianas infláveis pelo Exército brasileiro.

Com isso, surgiram algumas dúvidas sobre o assunto. Afinal, o que são essas próteses penianas e para o que elas servem? Segundo o urologista Dr. Carlos Bautzer, que atua no núcleo de Medicina Sexual do Hospital Sírio-Libanês e é membro da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), a prótese peniana é um tratamento para a disfunção erétil.

De acordo com o especialista, apesar de a prótese inflável ainda ser a preferida por trazer maior discrição para o homem, seu custo é mais elevado. "No Brasil, a opção inflável tem um custo muito elevado, que se aproxima dos US$ 20 mil, diferente da que acaba de chegar por aqui e que é uma inovação em próteses maleáveis. Essa prótese custa entre R$ 7 mil e R$ 10 mil e tem cobertura dos planos de saúde", explica o médico.

O Dr. Bautzer se refere à prótese peniana maleável, que, segundo ele, chegou ao Brasil em 2021. Ela é composta por duas hastes de silicone, que são inseridas nos corpos cavernosos do pênis. Dessa maneira, o órgão se mantém ereto, possibilitando ao paciente o retorno da atividade sexual.

Um dos diferenciais é a sensação tátil, muito semelhante à de um pênis ereto, que garante mais conforto ao paciente, pois sugere maior naturalidade. “Essa nova prótese também fornece maior tranquilidade ao paciente, já que ele pode dobrar o pênis quando precisar guardá-lo, sem que sinta nenhum desconforto”, explica o médico.

Prótese peniana é um dos últimos recursos

Apesar disso, realizar um implante de prótese peniana não costuma ser a primeira opção para reverter um quadro de disfunção erétil. Em boa parte dos casos, alternativas como o acompanhamento psicológico e o tratamento medicamentoso costumam oferecer bons resultados.

“Iniciamos, geralmente, com o controle das doenças de base como da hipertensão arterial, doenças vasculares e diabetes mellitus. Avaliação nutricional concomitante com controle dietético, no intuito de reduzir o colesterol e triglicerídeos irão auxiliar. A prescrição medicamentosa é o início, com uso de comprimidos diários ou de uso sob demanda. A psicoterapia voltada para sexualidade é realizada por alguns profissionais da psicologia e pode ser um instrumento importante na solução da disfunção erétil psicogênica”, conta o também urologista, Dr. Juan Pablo Suarez.

Mas, quando nenhuma dessas opções surte efeito, pode-se optar pela prótese peniana. “Quando não temos o objetivo alcançado com as opções anteriores, lançamos mão do implante de próteses penianas, que atualmente podem ser semirrígidas ou infláveis”, finaliza o médico.

Leia também