Medicamentos: 5 segredos para economizar na compra de remédios

Com a alta nos preços e também na procura por medicamentos, economizar é um diferencial. Confira dicas de especialista para comprar remédios com economia

Medicamentos: 5 segredos para economizar na compra de remédios
Medicamentos: 5 segredos para economizar na compra de remédios - Shutterstock

por Redação
Publicado em 15/06/2022 às 08:00
Atualizado às 08:00

Facebook Saúde em DiaPinterest Saúde em Dia

Oito em cada dez brasileiros escolhem a farmácia de acordo com o preço dos medicamentos. É o que mostra uma pesquisa sobre o comportamento do consumidor em farmácias do Brasil, finalizada em 2022 e realizada pelo  IFEPEC (Instituto Febrafar de Pesquisa e Educação Corporativa) em parceria com a Unicamp.

O estudo entrevistou quatro mil consumidores em todo o país. Desse total, 86% afirmou participar de algum programa de fidelidade, o que comprova a preocupação do brasileiro em economizar na compra de medicamentos, um gasto prioritário das famílias de todo o país.

De acordo com o levantamento, também cresceu o número de consumidores que deixaram de adquirir algum produto por questão financeira, sendo que mais de 19% dos consumidores entrevistados reportaram ter deixado de adquirir produtos que desejavam comprar. Destes consumidores, mais da metade, 51,8%, alegaram questões financeiras.

 "Fazer uma pesquisa sobre o retrato real do comportamento dos consumidores no varejo farmacêutico nacional é primordial para apoiar as iniciativas internas. Com dados atuais à disposição, podemos estruturar nossas estratégias e dessa forma sermos mais assertivos", destaca Edison Tamascia, presidente da Febrafar (Federação Brasileira das Redes Associativistas e Independentes de Farmácias).

Como economizar ao comprar medicamentos?

Com a alta dos preços e o baixo poder de compra do brasileiro, torna-se imprescindível adotar maneiras de economizar na compra de remédios e outros itens essenciais.  

"Mesmo tendo os medicamentos preços tabelados é possível economizar nas compras. Uma coisa que poucas pessoas sabem é que se tabela apenas o valor máximo dos medicamentos, mas o mínimo as farmácias podem estabelecer de acordo com suas estratégias comerciais", analisa o presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (ABEFIN), Reinaldo Domingos.

Reinaldo revela 5 segredos que vão aliviar seu bolso nas compras de farmácia:

  1. Pesquise preços. O profissional recomenda conhecer os preços oferecidos por outras farmácias, já que os valores podem ser muito diferentes entre uma drogaria e outra. “Aconselho que o consumidor faça um cadastro de fidelidade e participe de programas de aquisição de medicamentos, pois a prática pode resultar em descontos futuros”, orienta.
  2. Defina o que quer comprar. Ter bem claro o que vai comprar na farmácia é muito importante, como destaca Reinaldo. “Por isso se atenha a uma lista pré-definida de produtos, evitando comprar por impulso, o que é muito comum nos dias de hoje”, aconselha.

  3. Pesquise genéricos e similares. Na grande maioria das vezes os medicamentos genéricos ou similares são mais em conta, por isso Reinaldo recomenda solicitar ao médico que coloque o princípio ativo na prescrição, em vez da marca. “Pesquise também entre laboratórios, pois os preços são variados”, complementa.

  4. Cadastre-se no programa Farmácia Popular. O programa governamental Farmácia Popular oferece medicamentos gratuitos de hipertensão, diabetes ou asma para pessoas que possuem cadastro e receita. Ele também possibilita descontos de até 90%. “É necessário apenas ir a uma farmácia credenciada, apresentar a receita - que não precisa ser de um médico do Sistema Único de Saúde (SUS) - e a identidade para conseguir pegar medicamentos com desconto”, revela o presidente da ABEFIN.

  5. Utilize programas de fidelidade. Como informa Reinaldo, a grande maioria das farmácias possui programas de fidelidades com grandes benefícios. Além delas, existem também os programas dos laboratórios. “Faça seu cadastro, pois são aceitos em muitas farmácias, gerando economia de até 70%. Veja se sua empresa, plano de saúde, sindicato ou associação de classe profissional não possui parceria com alguma rede”, finaliza.

Leia também