Olimpíadas de Tóquio: saiba os segredos dos atletas para manter o ritmo

Segundo a Gabriela Bahia, educadora física "é essencial criar uma rotina com horários fixos e treinos todos os dias"

Especialistas falam sobre rotina de treinos antes das competições dos jogos e a importância da meditação para os esportistas
Especialistas falam sobre rotina de treinos antes das competições dos jogos e a importância da meditação para os esportistas - Shutterstock

por Julia Natulini
Publicado em 23/07/2021 às 12:02
Atualizado às 12:02

COMPARTILHEFacebook Saúde em DiaPinterest Saúde em Dia

Nesta sexta-feira (23), oficialmente começou as Olimpíadas de Tóquio, no Japão. A abertura deu início com queima de fogos em homenagem às vítimas da Covid-19 e contou com coreografias, bailarinos, arte e criatividade da cultura japonesa. E enquanto o símbolo das Olimpíadas de Tóquio se formava, no céu de fundo a clássica música “imagine”, de John Lenon.

Os Jogos Olímpicos vão até o dia (8/8) e durante o campeonato uma das curiosidades de quem está do outro lado da tela é saber como os atletas se preparam para manter o foco durante os 20 dias de competição.

Para facilitar, o SD conversou com a Gabriela Bahia, educadora física e criadora  dos 'Jogos da Crew', projeto novo que conta com bate-papos e treinos dos atletas olímpicos, inclusive na última semana conversou com o Lucas Verthein que estreou na modalidade remo e está classificado para as quartas de final.

Segundo ela, cada modalidade tem suas necessidades, “na natação, por exemplo é importante ter o contato direto com a água, praticar o nado, fortalecer o ombro, o abdome para que a preparação em um todo dê mais energia, condicionamento físico e confiança ao atleta”.

Além disso, é essencial criar uma rotina com horários fixos e treinos todos os dias, pois quando o corpo está aquecido, é bem provável que renda mais e os resultados sejam melhores. “Nem pensa, vai”, essa é uma frase de Gabriela Bahia para incentivar os seus alunos, já que a prática de atividade física deve ser estimulada a se transformar em um hábito e criar desculpas para não se exercitar é um erro”.

Durante um evento como as Olimpíadas o pique não pode ser perdido, pois influencia diretamente no processo e resultado que todos querem alcançar. Nenhuma medalha de ouro vem sem dificuldades, e infelizmente durante a competição dos Jogos Olímpicos há chances do atleta se machucar e até mesmo ter que deixar o tão esperado sonho: a medalha de ouro. “No entanto, quanto mais o atleta estiver preparado fisicamente, menor o risco de lesões, uma vez que o corpo está fortalecido”, ressalta a preparadora física.

“Por esse motivo, quando está próximo aos jogos o ideal é relaxar, repassar algumas estratégias, correções e claro ter disciplina com a alimentação para não fadigar o atleta nas provas”, finaliza Gabriela Bahia.

Qual a importância da meditação antes dos jogos?
Alguns atletas brasileiros como Mayra Aguiar, do judô, Bruninho, do vôlei, Marcus D'Almeida, do tiro com arco,  e Carol Gattaz, do vôlei, assumiram praticar a meditação para manter o alto nível esportivo nas competições.

A parte física não é a única para performance atlética nos Jogos Olímpicos, os esportistas brasileiros adicionam novos ingredientes à receita de treinamento para fortalecer a parte psicológica para a competição.

“A meditação alivia o estresse, a ansiedade e restaura a saúde. Ela ajuda a trazer foco, determinação e atenção plena. No esporte, é fundamental esse entendimento dos atletas. O corpo não trabalha sozinho, a mente é a nossa alinhada para suportar a carga emocional”, explica Marina Repetto, especialista em Ho’oponopono.

“O próprio ato de meditar ajuda o esportista. Da mesma forma que o corpo precisa de atenção,, a mente também deve ser treinada. Com os atletas, a importância é a mesma dos treinos físicos", aponta Marina.

Para a especialista, meditar também reduz o estresse antes das competições. Com a prática constante da meditação, o corpo aprende a relaxar mesmo em situações estressantes e desafiadoras, como os Jogos Olímpicos.

“Os atletas podem meditar no próprio quarto da Vila Olímpica. O melhor lugar para a prática é um ambiente calmo, tranquilo e sem interrupções. Já o melhor horário é ao acordar ou antes do treino para ter ainda mais energia”, ressalta a especialista.

O preparo mental e o autoconhecimento criam atenção constante, que consiste em prestar atenção ao que está acontecendo ao seu redor, para alcançar os objetivos a que se propôs.

Consultorias: Gabriela Bahia, educadora física e criadora do projeto 'Jogos da Crew' e Marina Repetto, especialista em Ho’oponopono.

Leia também