Açúcar pode prejudicar a fertilidade: 6 motivos para diminuir o consumo em 2022

Médicos e especialistas apontam os principais efeitos colaterais que o excesso da substância pode causar no organismo

Açúcar pode prejudicar a fertilidade
Açúcar pode prejudicar a fertilidade - Shutterstock

por Redação SD
Publicado em 16/12/2021 às 10:00
Atualizado às 10:00

COMPARTILHEFacebook Saúde em DiaPinterest Saúde em Dia

Açúcar pode prejudicar a fertilidade e dificultar o processo de reprodução. Mas, essa é apenas uma das desvantagens que o abuso da substância pode causar em nosso organismo. Não é novidade para – quase – ninguém que esse condimento docinho é extremamente calórico e, quando o ingerimos, ele é rapidamente absorvido pelo organismo e transformado em gordura. Fator que contribui diretamente para o ganho de peso e a obesidade.

Além disso, essa absorção veloz também interfere no balaço hormonal do corpo e pode causar doenças graves, como o diabetes, por exemplo. Mas, não estamos aqui para relembrar apenas desses efeitos colaterais mais conhecidos. Por isso, reunimos um time de profissionais de saúde, de diversas especialidades, para que eles apontassem outras desvantagens. Açúcar pode prejudicar a fertilidade e muito mais. Confira:

1 – Açúcar pode prejudicar a fertilidade

“O consumo excessivo de açúcar pode levar a um processo inflamatório com consequente risco de estresse oxidativo, o que pode lesar o DNA de células germinativas, aumentar a frequência de mutações prejudiciais e desequilibrar a expressão de genes que atuam na reprodução, assim comprometendo o processo reprodutivo”, afirma o Dr Marcelo Sady, pós-Doutor em Genética.

2 – Tem potencial cancerígeno

“As células cancerígenas, assim como todas as outras células do organismo, precisam de fontes de energia para sobreviver. Enquanto algumas células retiram essa energia do oxigênio, outras, como as células neoplásicas, utilizam como fonte de energia a fermentação do açúcar. Dessa forma, o açúcar, mais especificamente a glicose, pode impulsionar o desenvolvimento do câncer, já que alimenta as células cancerígenas, que crescem e se espalham pelo organismo”, explica a Dra. Marcella Garcez, diretora e professora da Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN).

3 – Causa envelhecimento da pele

“A glicação é a relação entre o consumo excessivo de açúcar refinado (carboidratos) e o envelhecimento cutâneo acelerado. Neste processo, a glicose que fica solta no sangue liga-se as proteínas, formando assim os AGEs (produtos finais da glicação avançada). Esses AGEs causam uma desordem tecidual, degradando as fibras de colágeno e elastina e levando à perda da elasticidade da pele, formação de rugas e ao envelhecimento do tecido”, diz a nutricionista Luisa Wolpe Simas.

4 – Prejudica a cicatrização

“Como chave dos procedimentos estéticos é o estímulo de colágeno, pacientes com marcadores altos de estresse oxidativo tendem a conquistarem resultados menos expressivos quando submetidos a cirurgias plásticas, além de possuírem mais riscos de sofrerem com problemas de cicatrização e trombose no pós-operatório”, esclarece a cirurgiã plástica, Dra. Beatriz Lassance, membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP).

5 – Provoca problemas de circulação sanguínea

“Com a obesidade e a diabetes, cria-se um círculo vicioso no organismo, no qual a obesidade retroalimenta e potencializa os riscos de diabetes e patamares elevados de gordura no sangue, tudo convergindo para uma constante e crescente ameaça à saúde cardiovascular. Além disso, o açúcar pode favorecer o aparecimento de problemas cardiovasculares, causando, por exemplo, o espessamento e o acúmulo de placas de gordura dentro da parede das artérias, com consequente obstrução desses vasos”, alerta o médico cardiologista e geriatra Dr. Juliano Burckhardt, membro do Corpo Clínico do Hospital Sírio Libanês, da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) e da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG).

6 – Açúcar prejudica a saúde bucal

“Um dos principais problemas nesse sentido é a formação de cáries, que ocorre quando as bactérias da boca metabolizam o açúcar que consumimos, tornando o pH da boca ácido e, consequentemente, provocando a desmineralização do esmalte dos dentes e o aparecimento das cáries. E o pior é que o início dessa ação ocorre poucas horas após a ingestão do açúcar. Além disso, o açúcar também favorece o acúmulo de placa bacteriana que, quando não removida adequadamente, também pode ocasionar gengivite e mau hálito”, alerta o Dr. Hugo Lewgoy, cirurgião-dentista e doutor em Odontologia pela USP.

TAGS

Leia também