Saúde mental: 6 alimentos que aliviam a ansiedade

Estudo ressalta a importância que a dieta tem para a saúde do cérebro

Comida boa faz bem para a cabeça
Comida boa faz bem para a cabeça - Shutterstock

por Felipe Bomfim
Publicado em 21/10/2021 às 08:00
Atualizado às 08:00

COMPARTILHEFacebook Saúde em DiaPinterest Saúde em Dia

A preocupação com a saúde mental ganhou evidência nos últimos anos. Muito por causa de algumas pessoas influentes e, aparentemente, sem nenhum tipo de problema, que revelaram momentos difíceis de suas vidas. Um exemplo foi a ginasta multicampeã Simone Biles, que preferiu não disputar algumas provas das Olimpíadas de Tóquio, para cuidar da sua saúde mental.

Atitudes como essa ajudaram algumas pessoas a refletirem e darem mais importância para o assunto. A busca por soluções para problemas como ansiedade, estresse e depressão é cada vez maior e, aos poucos, a saúde mental conquista a relevância necessária na sociedade. O entendimento de que alguns distúrbios podem ser provocados por reações químicas e fisiológicas do organismo, também é fundamental para combater situações adversas.

A alimentação, inclusive, tem um importante papel na saúde humana. Além de algumas funções já conhecidas – como fatores de emagrecimento e ganha de peso -, a ciência, aos poucos, comprova que a comida ainda interfere no funcionamento cerebral. Um estudo recente da Penn State College of Medicine, nos Estados Unidos, descobriu que a ingestão regular de cogumelos, por exemplo, pode diminuir a probabilidade de desenvolver distúrbios mentais.

Pensando nisso, com a ajuda do nutrólogo Fernando Cerqueira, separamos 6 alimentos importantes para o combate e a prevenção de problemas relacionados à saúde mental, como ansiedade, depressão e estresse. Confira:

1 – Cogumelos

Seja shitake, champignon, ou qualquer outro tipo de cogumelo comestível, estudos reforçam cada vez mais a sua importância para o cérebro. “São os benefícios associados ao aminoácido ergotioneína, um antioxidante que pode proteger as células e os tecidos do corpo contra danos relacionados à saúde mental”, explica o nutrólogo.

2 – Brócolis

Aposto que alguém já mandou você comer brócolis quando era criança. Acredite, por mais que o paladar infantilizado da época não fosse muito receptivo ao alimento, quem te pedia isso queria o seu bem. “O legume fortalece a imunidade, previne doenças cardíacas e tem propriedades antioxidantes”, conta Cerqueira.

3 – Couve

Mas cuidado com os acompanhamentos e o preparo. A vontade de refogar uma couve com alho e servi-la em uma feijoada é tentadora, eu sei. E não há nada de errado nisso. É preciso ter apenas equilíbrio e parcimônia. “A folha ajuda a desintoxicar o organismo, regular o intestino e a saúde dos ossos”, diz o especialista.

4 – Espinafre

Mais uma lição aprendida desde cedo. Dessa vez com os quadrinhos e as animações do personagem Popeye – um típico marinheiro que ficava extremamente forte após ingerir espinafre. E de acordo com Cerqueira, isso fazia todo sentido: “o vegetal é rico em ácidos graxos essenciais, que atuam na formação das células e nos processos metabólicos”, afirma.

5 – Escarola

Outra forma de enriquecer a salada com nutrientes funcionais e importantes para o bom funcionamento cerebral. “Cheio de fibras, o ingrediente melhora a absorção de nutrientes e possui ação anti-inflamatória”, explica o nutrólogo.

6 – Feijão

Queridinho dos brasileiros, o feijão não podia ficar de fora dessa lista. “O grão é fonte de selênio, que contribui com a redução do estresse, e vitaminas do complexo B”, finaliza Cerqueira.

Fonte: Fernando Cerqueira, médico formado pela UninCor e possui especialização em Nutrologia pela ABRAN. É membro da Sociedade Brasileira para Estudos da Fisiologia (Sobraf) e fellow endocrinológico pela UW School Of Medicine.

Leia também