Olimpíadas: como os atletas mantém a saúde mental nos Jogos

Conheça aplicativos que podem servir de apoio aos esportistas, pois são capazes de equilibrar a alimentação e incentivar a prática de exercícios sem sair de casa

"Preparação mental dos atletas é uma realidade para a maioria das equipes que se preocupam com a saúde mental", diz psicóloga
"Preparação mental dos atletas é uma realidade para a maioria das equipes que se preocupam com a saúde mental", diz psicóloga - Instagram: @carladipierro

por Julia Natulini
Publicado em 28/07/2021 às 14:00
Atualizado às 16:20

COMPARTILHEFacebook Saúde em DiaPinterest Saúde em Dia

Falar das Olimpíadas de Tóquio é também tentar entender como os atletas cuidam da saúde mental para manter o foco durante as competições. Recentemente a psicóloga Carla di Pierro, do Comitê Olímpico do Brasil (COB) publicou em seu Instagram uma foto das atletas do Rugby Sevens, que entram em campo nesta quinta-feira (29), realizando a prática de Mindfulness, na sala de preparação mental do time Brasil.  

No post ela escreveu: “aqui em Tóquio contamos com 3 salas de preparação mental e 4 profissionais que estão disponíveis para as necessidades dos atletas e oficiais.“Cada profissional segue atuando com os atletas e equipes que já vinham trabalhando dentro do ciclo olímpico. Mas também ficamos disponíveis para as possíveis emergências psicológicas que aparecerem”.

“A preparação mental de atletas já foi um projeto, hoje em dia é uma realidade para a maioria das equipes que se preocupam com a saúde mental e que querem se preparar psicologicamente para a competição”, ressalta Carla di Pierro.

Esse apoio é fundamental durante um evento como as Olimpíadas, pois muitas vezes a pressão colocada nas disputas e a ânsia pelas classificações finais provocam ansiedade e alteram o psicológico.

É o caso da ginasta americana Simone Biles,que desistiu de disputar a final individual geral da modalidade ginastica artística. A atleta resolveu ir por esse caminho após uma avaliação médica em que ela escolheu cuidar do seu bem-estar mental e emocional. A equipe da Simone Bile confirmou a informação pelas redes sociais.

Crédito: Instagram:@ simonebiles


“Após avaliação médica adicional, Simone Biles, retirou-se da competição individual geral. Apoiamos de todo coração a decisão dela e aplaudimos sua bravura em priorizar seu bem-estar. Sua coragem mostra, mais uma, vez, porque ela é um modelo para tantos”.

Não é à toa que cada vez mais estão sendo desenvolvidas tecnologias voltadas a exercícios físicos e controle da alimentação para as pessoas manter o equilíbrio mesmo em casa, umas vez que a pandemia devido a Covid-19, impossibilitou que as atividades fossem feitas fora de casa, e, por conta disso, apostaram em plataformas para contribuir com o bem-estar emocional.

Aplicativo Be Brave – exercícios, treinos, aulas e alimentação

Foi de olho nesse mercado em expansão, e que deve seguir em alta no pós pandemia que apresentadora e empresária Sabrina Sato, por meio do escritório Sato Rahal, que tem como sócios seus irmãos Karina e Karin, se uniu ao marido, Duda Nagle, e ao personal físico do casal, Marcio Lui, para mergulhar no universo dos apps de bem estar reúne conteúdos adequados a diversos perfis pessoais e objetivos a serem alcançados.

Por meio das estratégias tecnológicas de Inteligência artificial, o app "aprende" com seus usuários em todo o mundo quais conteúdos, incluindo exercícios, treinos, aulas, materiais de suporte e cardápios.

Ele cria formas de ativação para que o usuário tenha uma experiência de uso mais próxima e pessoal, mantendo o estímulo para que siga progredindo com apoio da ferramenta. 

 Por meio das estratégias computacionais avançadas, pautadas por machine learning, o assinante consegue montar um cardápio personalizado de acordo com suas necessidades, substituindo alimentos sem desequilibrar a alimentação.

Cada alimento é calculado no seu cardápio. Quando algum item não está disponível naquele momento ou não há vontade de consumi-lo, o aplicativo ajuda a escolher opções de substituição que podem ser consumidas e calculadas automáticas a quantidade recomendada ao caso.

Aplicativo My JINN – Ele pode identificar sentimentos

O “My JINN, desenvolvido pela startup Mind Global funciona de maneira personalizada. Diariamente, o usuário responde a pergunta “Como você está se sentindo?”, permitindo que o sistema mapeie como as emoções podem interferir naquele momento e ofereça dicas práticas para estimular habilidades essenciais e auxiliar o indivíduo no dia a dia.

Apesar de ser apelidado de terapeuta digital, os desenvolvedores destacam que o app não substitui o acompanhamento psicológico profissional. “My JINN serve como um instrumento que conscientiza sobre a educação emocional e facilita a relação entre paciente e terapeuta, podendo ser a primeira oportunidade das pessoas compreenderem os benefícios do autoconhecimento e da Inteligência Emocional.

Além disso, o aplicativo avisa quando o usuário pode estar emocionalmente instável e o notifica sobre a necessidade de fazer um tratamento psicológico”, concluíram os idealizadores.

Para a psicóloga e idealizadora Alana Anijar, do renomado projeto “Psi do Futuro”, o monitoramento emocional via tecnologia pode ser um baita aliado, levando em conta que as pessoas vivem com seus celulares na mão hoje em dia. Ter um lembrete no próprio celular para que eles tirem um tempo para tomarem consciência de si mesmos e do momento presente, por exemplo, pode ser muito útil".

O aplicativo My JINN– Terapeuta Digital pode ser integrado a redes sociais e permite o compartilhamento dos relatórios personalizados que são gerados. Disponível para download grátis, dispõe de recursos premium e pode ser utilizado a cada 6 ou 8 horas, viabilizando monitoramento contínuo.  

Fonte: Carla di Pierro, psicóloga.Simone Biles, ginasta.
Aplicativos Be Brave e My JINN da Mind Global.

Leia também