Vinho atrapalha a dieta? 3 maneiras saudáveis de consumir a bebida

Feriados e dias de descanso elevam o consumo de vinho. Saiba conciliar diversão com bem-estar

Vinho atrapalha a dieta apenas se for consumido em grandes quantidades
Vinho atrapalha a dieta apenas se for consumido em grandes quantidades - Shutterstock

por Redação SD
Publicado em 16/04/2022 às 12:00
Atualizado às 12:00

Facebook Saúde em DiaPinterest Saúde em Dia

Será que vinho atrapalha a dieta? A chegada de feriados prolongados, na maioria das vezes, também nos faz elevar o consumo de álcool. E uma das bebidas preferidas desses momentos é, justamente, o vinho.

Mas, antes de se questionar se vinho atrapalha a dieta, é necessário fazer uma autoanálise de como anda sua vida, principalmente sobre o aspecto fitness. Você se dedica aos treinos e à alimentação de verdade? Ou começou a se preocupar como isso recentemente, para ver se conseguia melhorar o condicionamento para o carnaval?

Seja qual for o seu caso, a resposta se vinho atrapalha a dieta não é apenas uma: não fará grande diferença. Para quem passa o ano todo na linha, focado e comprometido com o estilo de vida saudável, não serão algumas tacinhas a mais que vão comprometer toda a sua jornada. Fique tranquilo.

Por outro lado, se você entrou para o mundo fitness recentemente e adora tomar um vinho de vez em quando, cortar esse hábito agora não lhe trará grandes benefícios. Basta ter moderação e equilíbrio. Mas, é claro que um pouquinho de conhecimento também ajuda. Por isso, a especialista em vinhos, Andreia Berthault, nos contou quais vinhos são os mais indicados para três tipos diferentes de dieta. Confira:

Vinho na dieta cetogênica

Para quem não sabe, a dieta cetogênica consiste na ingestão de apenas proteínas e gorduras, sem a adição de carboidratos. Uma estratégia utilizada, geralmente, por quem pretende perder peso e emagrecer. O grande problema aqui é que vinho possui açúcar – carboidrato de alto índice glicêmico.

“Todos os vinhos têm açúcar residual (inclusive os vinhos secos). Como a dieta cetogênica restringe o consumo de açúcar, quanto menor for o teor de açúcar residual no vinho, menos ele impactaria a dieta” – diz a especialista. De acordo com ela, a melhor escolha é apostar em espumantes nature, que possuem apenas três gramas de glicose.

Vinho para veganos

Apesar de ser produzido com uvas e, ao contrário do que muitos imaginam, o vinho, não necessariamente, é uma bebida 100% vegana.

“Produtos de origem animal podem ser utilizados ao longo do processo de produção dos vinhos. Por exemplo, é comum que proteínas de origem animal (como claras de ovos, gelatina, caseína, dentre outras) sejam usadas com o objetivo de clarificar o vinho de forma a deixá-lo límpido e brilhante”, explica Andreia.

As melhores opções, nesse caso, são os rótulos com indicações claras: vegano, vegan ou vegan friendly. Eles não são muito comuns em prateleiras de supermercados. Mas, podem ser facilmente encontrados em lojas especializadas.

Vinho na dieta mediterrânea

Muito mais do que um tipo de alimentação, a dieta mediterrânea é um estilo de vida saudável. E, talvez, ela seja a melhor estratégia para quem ama vinho. Afinal, a bebida está inclusa no cardápio dessa linha alimentar.

“Mesmo que a dieta mediterrânea recomende o consumo moderado de vinho, sempre há que se tomar cuidado com a ingestão de álcool. A recomendação de uma taça de vinho tinto seco aplica-se apenas a pessoas que já possuem o hábito de consumir bebidas alcóolicas. Caso a pessoa seja abstêmia, para efeitos de saúde, a melhor opção é continuar assim, zero álcool” – finaliza a especialista Andreia Berthault.

Fonte: Andreia Berthault, especialista em vinhos e fundadora da escola virtual de vinhos Red Submarine

Leia também