Lipidema: O que é essa doença?

Linfoterapeuta explica a diferença e como tratar

Ele atinge mais às mulheres e é uma doença genética
Ele atinge mais às mulheres e é uma doença genética - Shutterstock

por Julia Natulini
Publicado em 28/05/2021 às 18:00
Atualizado às 18:00

COMPARTILHEFacebook Saúde em DiaPinterest Saúde em Dia

Inchaço nas pernas, hematomas e celulite são as queixas mais frequentes em mulheres que sofrem de lipidema, um distúrbio crônico que surge durante a puberdade, gestação, menopausa ou em alguma situação de muito estresse.

Como é possível diferenciar as “celulites” do lipedema?
O Daniel Zucchi, bioengenheiro e linfoterapeuta esclarece que o distúrbio se caracteriza pelo aumento simétrico do tecido gorduroso nas pernas ou nos braços. É uma doença genética que provoca um acúmulo anormal de gorduras no tecido adiposo dos membros inferiores e isso causa um edema que comprime os vasos linfáticos e sanguíneos.

Já a celulite é considerada uma doença de depósito, isto é, depositam os tecidos nos membros inferiores, local que acumula gordura ou líquido e dar o aspecto celulítico. Alguns fatores contribuem para o desenvolvimento dela, como a questão hormonal, gestação, menstruação e uso de anticoncepcional.

No entanto, ao contrário das celulites, o lipedema pode ser doloroso ao toque, e costuma poupar regiões do corpo como mãos, pés e tronco.  Além disso, é uma doença pouco investigada, apesar de causar um grande impacto psicológico. As mulheres que estão com o distúrbio escutam frases do tipo “isso é normal”, “ é genético” ou mesmo que estão obesas", comenta Zucchi.

De acordo com o especialista, o mal pode ser resolvido com ajuda de profissionais capacitados em linfoterapia associada à técnica de eletroterapia.

Consultoria: Daniel Zucchi, bioengenheiro e linfoterapeuta

Leia também