Atividades sem impacto aliviam as articulações e ainda ajudam a emagrecer

Realizar exercícios intensos sem sobrecarregar ligamentos e tendões não é uma tarefa tão difícil assim. Conheça as atividades sem impacto

Atividades sem impacto também são eficientes
Atividades sem impacto também são eficientes - Shutterstock

por Redação SD
Publicado em 18/03/2022 às 08:00
Atualizado às 08:00

Facebook Saúde em DiaPinterest Saúde em Dia

As atividades sem impacto são aquelas onde não existem choques constantes entre o corpo e a superfície. Ou seja, elas não exigem que você corra, pule ou golpeie algum alvo. Característica fundamental para as pessoas que possuem algum tipo de dor crônica nas articulações, por exemplo.

E a boa notícia é que, ao contrário do que alguns imaginam, as atividades sem impacto não se limitam à exercícios de musculação, tampouco são menos efetivas que outros tipos de esporte. Com elas é totalmente possível gastar uma boa quantidade de calorias, emagrecer, melhorar o condicionamento cardiorrespiratório e aumentar a massa magra.

Por isso, com a ajuda de especialistas da plataforma de treinos online, Queima Diária, separamos três boas opções de atividades sem impacto, para você adicionar no seu dia a dia. Confira:

Yoga. "Yoga é uma atividade física que também beneficia a saúde mental. Os movimentos exigem força, equilíbrio e flexibilidade aliado ao controle da respiração, que, juntos, beneficiam o core, ajudam a modelar o corpo, aumentam a flexibilidade e a força muscular. Tudo isso gerando gasto calórico com baixo impacto nas articulações", explica educador físico Flávio Areal.

Balé Fitness. Atividade reúne os movimentos da dança clássica com exercícios do fitness, sem gerar qualquer impacto durante todo o treino. “Para quem está iniciando a prática, a amplitude dos movimentos pode ser um desafio, mas com regularidade e respeito aos limites do próprio corpo, em alguns meses é possível perceber os benefícios”, comenta a treinadora e bailarina Déborah Valério.

Aeróbicos em geral. Corridas e saltos podem ser substituídos por movimentos alternados de perna, por exemplo, mas sem perder a atenção para a cadência. “Mesmo no adaptado, os movimentos do corpo precisam ser vigorosos, ajudando a melhorar a circulação sanguínea, acelerar os batimentos cardíacos, tonificar os músculos e garantir a perda de peso”, finaliza Flávio.

Leia também