Como fazer a escovação correta dos dentes?

A seguir, confira alguns mitos e verdades sobre o assunto

Mitos e verdades sobre a escovação correta dos dentes
Mitos e verdades sobre a escovação correta dos dentes - Shutterstock

por Redação SD
Publicado em 31/03/2021 às 16:05
Atualizado às 16:05

COMPARTILHEFacebook Saúde em DiaPinterest Saúde em Dia

Manter os dentes sempre saudáveis e livres de cáries é uma tarefa diária. Desde criança, aprendemos a importância da escovação e como garantir a saúde bucal. 

No entanto, mesmo após tantos anos, algumas dúvidas ainda persistem. Para saná-las, a consultora da GUM, Sara Paz,  trouxe algumas respostas. Confira! 

A troca de escovas deve ser frequente

Verdade. Com o tempo, as cerdas vão perdendo sua eficácia, necessitando de mais força na hora da escovação, por isso, o ideal é que a troca seja feita a cada três meses. “A troca frequente da escova evita que sua dentição e gengiva sejam prejudicadas”, afirma Sara. 

Cerdas duras limpam melhor

Mito. Escovas com as cerdas duras podem causar desgaste da superfície dental. “O ideal é que ela possua cerdas macias, que se adaptam às diferentes áreas da cavidade oral”, explica a consultora.

É preciso usar grande quantidade de creme dental

Mito. O grande responsável pela limpeza são as escovas de dentes. O excesso de creme dental pode ser considerado um desperdício, pois gera a necessidade de se livrar mais rápido do produto. A consultora ressalta que a quantidade de pasta ideal é correspondente a um grão de ervilha.

É preciso escovar os dentes imediatamente após as refeições

Mito. A higienização é realmente necessária depois das principais refeições, mas é recomendado que se espere ao menos 30 minutos após o consumo de alimentos. “Esse tempo é necessário para que a saliva cumpra seu papel e neutralize o pH de alimentos e bebidas”.

Enxaguantes bucais substituem a escovação 

Mito. Os enxaguantes bucais devem ser utilizados como um complemento da rotina de higiene bucal. Sem o auxílio da escovação e do fio dental, seu uso praticamente não tem utilidade. “Quando utilizados como auxiliares, promovem a redução de placa bacteriana, mau hálito e gengivite”, informa.


A higienização noturna é mais importante

Verdade. O fluxo de saliva é menor durante a noite, deixando os dentes mais vulneráveis. Dessa forma, a umidade na cavidade oral, somada a pouca movimentação, colabora para a proliferação de bactérias presentes na boca. Sara chama atenção para a importância do uso de creme dental com flúor na última escovação do dia. “Ele é o responsável repor todos os minerais perdidos durante o dia”.


Excesso de escovação prejudica a dentição

Verdade. O excesso de escovação pode desgastar o esmalte do dente e encolher a gengiva. Sara orienta que escovar a cavidade oral três vezes ao dia é o ideal. “Escovar após as principais refeições e antes de dormir é mais do que suficiente para uma boa higiene bucal”, garante.

Café escurece os dentes

Verdade. Bebidas e alimentos com muito corante podem manchar os dentes por conta da porosidade do esmalte dentário. De acordo com a consultora da GUM, bebidas como café, chá, vinhos e refrigerantes e alimentos como açaí e ketchup devem ser consumidos de forma moderada.


Chiclete sem açúcar auxilia contra cáries

Mito. “Apesar de não causarem cáries, chicletes sem açúcar não as previnem. Eles não substituem a limpeza realizada por meio da escovação, uso do fio dental e enxaguante bucal, que são a melhor forma de garantir um sorriso saudável”, aponta.


Só preciso ir ao dentista caso tenha algum problema

Mito. Mesmo que aparentemente tudo esteja certo, é preciso fazer visitas regulares para checar a saúde bucal. “O ideal é que o paciente visite o dentista a cada 6 meses para controle".

O fio dental deve ser usado em todas as escovações

Verdade. Segundo Sara, o fio deve sempre ser usado para "remover os restos alimentares que possam ter ficado nas regiões interdentais. Para cada higienização é ideal o uso de 30 cm de fio dental, introduzindo entre os dentes, fazendo movimentos de vai e vem (esfregando) e contornando a gengiva próxima aos dentes”, ensina. 

A escolha do creme dental não influencia na saúde bucal

Mito. De acordo com a consultora, é preciso prestar atenção a alguns detalhes. “O que determina a eficiência de um creme dental é a quantidade de flúor disponível. Para adultos, o ideal é que se tenha 2.200 ppm de flúor, e para crianças a partir de 1.000 ppm. Cabe ressaltar que é importante também verificar a quantidade de abrasivos que o creme dental apresenta, já que o excesso pode gerar desgaste do esmalte dentário”, finaliza. 

Consultoria: Sara Paz, consultora da GUM.