Como evitar o segundo AVC?

A atenção com a saúde é a melhor forma de prevenir um novo aparecimento da doença

A atenção com a saúde é a melhor forma de prevenir o segundo avc
A atenção com a saúde é a melhor forma de prevenir o segundo avc - Shutterstock

por Redação SD
Publicado em 27/06/2021 às 09:00
Atualizado às 09:00

COMPARTILHEFacebook Saúde em DiaPinterest Saúde em Dia

Não se engane! Uma paciente que já sofreu AVC não está livre de passar pelo problema novamente. Inclusive, caso não haja mudanças nos hábitos, as chances se multiplicam.

“Em geral, os fatores de risco para a ocorrência do segundo AVC são os mesmos do primeiro”, afirma a neurologista Carla Jevoux. 

Dessa forma, a profissional destaca a importância de conhecer e evitar as razões do acidente com medicamentos e modificações no estilo de vida. “É preciso que o paciente tenha compromisso com o tratamento”, completa.

AVC pela segunda vez 

O AVC é uma doença que tende a se repetir. Por isso, a necessidade de grande atenção dá-se pelo segundo episódio ser ainda mais grave do que o primeiro, já que o paciente pode manter as sequelas, que se somam, impondo ainda mais limitações à qualidade de vida dele. “Além disso, pode levar ao óbito”, completa Carla.

Por surgirem devido a diferentes causas, a prevenção dos acidentes isquêmico e hemorrágico também difere em alguns pontos. De acordo com a neurologista, para evitar o primeiro, é recomendado controlar rigorosamente fatores de risco como hipertensão arterial, diabetes e dislipidemias (colesterol ou triglicerídeos elevados).

Além disso, prevenir a obesidade, pesquisar doenças do coração (arritmias, dilatações do coração e doenças das válvulas cardíacas) e distúrbios na coagulação sanguínea, evitar o fumo, o sedentarismo, o abuso de álcool e de drogas ilícitas, o uso de anticoncepcionais e de terapia de reposição hormonal (ambos sem acompanhamento médico), são pontos fundamentais para a precaução do AVC. 

“Para que o hemorrágico não ocorra novamente é imprescindível detectar a presença de outras doenças, como más formações vasculares, aneurismas (dilatações), vasculites (inflamação dos vasos sanguíneos) e hipertensão arterial”, afirma a profissional.

Potássio, um nutriente necessário

Um estudo realizado no Albert Einstein College of Medicine, nos Estados Unidos, revelou que consumir alimentos que possuem potássio diminui os risco de AVC em mulheres.

Durante a pesquisa, que levou 11 anos, mais de 90 mil mulheres com idade entre 50 e 79 anos foram observadas. As que consumiram mais potássio (3.193 miligramas ou mais diariamente) tiveram 12% menos riscos de ter a doença e 10% menos chances de morrer por qualquer outra causa durante o período do estudo.

Os resultados foram ainda melhores para as que não têm pressão arterial elevada. Banana, abacate e iogurte são exemplos de alimentos ricos no mineral. Porém, vale ressaltar que, de acordo com a Associação Americana do Coração, idosos e pessoas com problemas nos rins devem se atentar ao consumo em excesso do nutriente.

Consultoria:  Carla Jevoux, neurologista 

Leia também