Libido baixa?

Confira quais são as causas mais comuns para o desinteresse sexual

Libido baixa pode ter diversas causas
Libido baixa pode ter diversas causas - Shutterstock

por Juliana Mesquita
Publicado em 30/03/2021 às 16:15
Atualizado às 16:15

COMPARTILHEFacebook Saúde em DiaPinterest Saúde em Dia

Existem diversos fatores que podem causar o desinteresse sexual: desde orgânicos até psicológicos. Porém, antes de chegar a raíz do problema, é preciso avaliar alguns pontos importantes: 

Questão de gosto? 

Apesar de existirem fatores que influenciem no interesse sexual, não se pode ignorar o fato de que algumas pessoas simplesmente não gostam de sexo. 

“Primeiro a gente precisa entender qual a educação sexual que essa pessoa tem. Pode ser gosto? Pode! A gente não pode descartar que as pessoas podem escolher se elas gostam ou não de algo, mas podem ser traumas, coisas que advêm de um passado. Então, nesse sentido, é necessário compreender o que está de subjetivo naquela pessoa acerca da sexualidade dela e da sua experiência em relação a essa temática”, destaca Aline Lourenço, psicóloga e sexóloga.

Autoestima baixa?

A forma como a pessoa se vê e vê seu corpo também pode influenciar na hora da relação sexual, uma vez que ela não se sentirá confortável ficando nua na frente de outra pessoa. Inclusive, o problema pode ter origem na forma como essa pessoa foi ou não educada sexualmente. 

“A gente sabe que, infelizmente, na nossa cultura há muito preconceito no que diz respeito à sexualidade. Nós crescemos com certa repressão de: não pode tocar aqui, assim não pode; a menina tem que esconder, menino não pode mostrar. Por isso, precisamos entender esse contexto sexual da pessoa e entender também como ela se vê no mundo e quais são as suas experiências”, diz Aline. 

Falta de comunicação entre o casal  

De acordo com a psicóloga, muitas pessoas não deixam claro para seu parceiro (a)  do que gostam ou do que não gostam, e acreditam que a pessoa vai deduzir - algo que acaba, muitas vezes, frustrando ambos os lados em uma relação. 

“As pessoas são individuais. Se o seu parceiro ou parceira não souber do que você gosta, se não houver uma comunicação, fica  difícil de entender. E fica aquilo: ‘eu tenho expectativa que a pessoa faça’. Mas eu sempre questiono: ‘mas você já verbalizou para a pessoa como você queria que ela fizesse?’ Porque nós não temos um manual de instrução”, exemplifica. 

Rotina 

A diminuição do interesse sexual após o casamento e a chegada dos filhos é algo recorrente entre os casais. O problema se deve em grande parte à rotina, que, muitas vezes, fica restrita ao compartilhamento das responsabilidades e das contas. 

“As pessoas com novas atribuições, elas se perdem. E aí a gente precisa resgatar onde se  perdeu, se realmente quer se resgatar, e de que forma a gente pode reestabelecer esse contato. Nós podemos disponibilizar um pouco mais de tempo a dois. Será que aquele tempo que a gente estava falando de boletos, será que a gente não pode dispor para falar de nós dois? ‘De como foi seu dia?’, Fazer um carinho, assistir um filme juntos... Então, tentar reestabelecer esse contato que houve lá atrás. Porque alguma coisa ligou essas pessoas e o que foi?”, questiona Aline. 

Fatores orgânicos 

No caso das mulheres, a libido baixa pode estar associada ao “desequilíbrio hormonal com diminuição dos hormônios como estrogênio e testosterona (isso acontece em pacientes na menopausa); causas ginecológicas como vaginismo (contração involuntária dos músculos da vagina); causas psicológicas; doenças como depressão e diabetes; uso de medicamentos como anticoncepcionais e antidepressivos e alcoolismo”, lista José Gomes Moura, ginecologista e obstetra do Hospital Anchieta de Brasília. 

No caso dos homens “a principal causa tem sido a diminuição dos níveis de testosterona, conhecida como DAEM (deficiência androgênica do envelhecimento masculino), mais comum a partir dos 60 anos de idade. Acontece que, com o aumento da obesidade, sedentarismo e síndrome metabólica na população, estamos vendo a queda de testosterona em homens cada vez mais jovens, 40-50 anos de idade”, alerta Thiago Castro, urologista do Hospital Anchieta de Brasília. 

Tratamento 

Caso a diminuição da libido da mulher se deva a fatores orgânicos como disfunção hormonal, o tratamento será focado na reposição desses hormônios.  

No caso dos homens, o especialista pode indicar “fitoterápicos que aumentam a produção endógena (pelo próprio corpo) de testosterona ou reposição do próprio hormônio (testosterona) em gel ou através de injeções”, diz Thiago. 

Caso nada seja encontrado nos exames, talvez seja hora de procurar apoio psicológico.  “A hora certa para procurar ajuda especializada é a hora que você sente que está preparado. Eu sempre digo para as pessoas: ‘não vá porque alguém disse que você tem que ir’. Vá porque você acredita que você tem ir. Porque o momento que você acredita, é o momento que você está preparado”, finaliza Aline. 

Consultoria: 

Aline Lourenço, psicóloga (CRP:  06/137042) e sexóloga clínica e educacional; José Gomes Moura, ginecologista e obstetra do Hospital Anchieta de Brasília; Thiago Castro, urologista do Hospital Anchieta de Brasília.