Covid-19: 5 dicas de como evitar infecção do vírus em lugares fechados

Especialista alerta que os cuidados básicos de higienização devem ser mantidos, como o uso de máscara e distanciamento social

"Tente manter distância de 2 metros de outra pessoa, evite abraços e aperto de mãos"
"Tente manter distância de 2 metros de outra pessoa, evite abraços e aperto de mãos" - Shutterstock

por Julia Natulini
Publicado em 03/08/2021 às 09:28
Atualizado às 10:30

COMPARTILHEFacebook Saúde em DiaPinterest Saúde em Dia

Com o adiantamento do calendário da vacinação, queda no número de mortes e internações pela Covid-19, associados as medidas preventivas, torna-se necessário reforçar quais são os cuidados que as pessoas não podem abrir mão.  

A vacinação deve ser incentivada, a melhora nos índices comemorada, mas não é o momento para relaxar ainda. Os cuidados básicos, como o uso de máscara de maneira adequada, higiene frequente das mãos e distanciamento social permanecerão por muitos meses. 

Segundo a Dra. Fernanda Buonfiglio de Castro Monteiro, médica da família e comunidade, "todas essas formas de prevenção se dão devido ao vírus e suas mutações que seguem sendo transmitidos, causando a doença, internações, complicações e mortes. Não existe vacina 100% eficaz, é preciso ter consciência sobre isso”.

“Ainda é necessário manter-se em casa, evitar aglomerações e ambientes fechados. Continuam importantes, e cada vez mais estaremos expostos ao vírus, especialmente se empresas diminuírem expedientes de home office, escolas retomarem as aulas presenciais completamente, uma vez, que o transporte público é o único meio de locomoção para grande parte da população, ou até mesmo o retorno às atividades de lazer, ainda que com os cuidados básicos, mas todos correm risco", explica a médica.

A Dra.Fernanda Buonfiglio de Castro Monteiro, médica da família e comunidade da ViBe Saúde separou 5 dicas essenciais que valem quando as pessoas estiverem em ambientes fechados ao lado de outras pessoas que não fazem parte do convívio diário.

1)  Use máscara
As máscaras mais adequadas são as chamadas PFF2 ou N95, facilmente encontradas, não são descartáveis e sua trama não permite que o vírus entre pelas vias respiratórias, desde que usadas de forma adequada, cobrindo 100% do nariz e boca durante todo o tempo de exposição. Indicadas para indivíduos com mais de 2 anos, são encontradas em tamanho adulto e infantil, devem estar sempre justas ao rosto e, por isso, fiquem atentos ao ajuste do elástico.

2) Mantenha as janelas abertas
Quando existirem janelas no ambiente, certifique-se de que estejam sempre abertas. O ar externo circulando também diminui as chances de contaminação, daí a preferência, quando possível, de fluxos de ar livre; se notar, ao entrar no ambiente, que o local está de abafado, evite permanecer ali. Independentemente da temperatura do ar, não fechar as janelas;

3) Evite o ar-condicionado
Existem orientações oficiais para empresas e residências sobre uso e manutenção do aparelho de ar-condicionado em tempos de Covid19; de forma simplista, não use ar-condicionado se a máquina não trocar o ar do ambiente interno com o externo, troque os filtros com mais frequência e deixe o uso restrito a locais sem outra forma de ajuste de temperatura. 

4) Mantenha o distanciamento
Tente manter distância de 2 metros de outra pessoa, evite abraços e aperto de mãos, não deixe a saudade e emoção do reencontro falarem mais alto que a razão. Não compartilhe celular, não compartilhe equipamentos de proteção individual e de trabalho, e garanta higiene frequente das mãos. Não permita comportamentos ofensivos à sua saúde. Não deixe todo o seu esforço em manter-se isolado ir por água abaixo;

5) Vacine-se 
Salvo raras exceções, todos podemos nos vacinar. Se está com algum receio, se não se sente seguro para receber vacina, procure um profissional de saúde e esclareça todas as suas dúvidas. Vacinar-se é uma forma de prevenir formas graves da doença e, também, uma forma de contribuir para a proteção da comunidade em que vivemos. Ah, e as duas doses são necessárias para que a proteção seja maior, excetuando a vacina de dose única, por isso fique atento a data de reforço.

A especialista alerta para que as pessoas estejam atentas aos sinais que o corpo manifesta. “Nariz escorrendo, dor de garganta, sensação de febre, tosse ou dores de cabeça, são sintomas, mesmo que leves, mas o melhor a fazer é se resguardar e procurar assistência médica com o objetivo de não colocar a vida do próximo em risco”, finaliza a Dra. Fernanda Buonfiglio de Castro Monteiro, médica da família e comunidade.

Consultoria: Dra. Fernanda Buonfiglio de Castro Monteiro, médica da família e comunidade da Vibe Saúde.

Leia também