Apendicite aguda: entenda o que houve com Jimin, cantor do BTS

Inflamação na região abdominal precisa ser tratada com urgência. Conheça os sintomas da apendicite aguda

Apendicite aguda exige atendimento médico urgente
Apendicite aguda exige atendimento médico urgente - Reprodução Instagram @bts.bighitofficial

por Redação SD
Publicado em 01/02/2022 às 11:22
Atualizado às 11:22

Facebook Saúde em DiaPinterest Saúde em Dia

A apendicite aguda, segundo o Ministério da Saúde, pode ser caracterizada por uma forte e repentina inflamação no apêndice – órgão localizado na região interna do abdômen. Independente de sexo ou idade, todas as pessoas podem sofrer com o problema que, apesar de não ser raro, precisa ser tratado com urgência, para não gerar complicações graves.

E foi o que aconteceu com o cantor Jimin, do grupo BTS. Após apresentar um quadro com dores abdominais no último domingo (30), o artista de 26 anos foi internado e diagnosticado com apendicite aguda. Já no hospital, também foi identificada uma infecção por coronavírus. De acordo com comunicado de sua agência, a Big Hit Music, ele foi operado com sucesso e segue em processo de recuperação.

Entenda a apendicite aguda

Para o Dr. José Luiz Capalbo, cirurgião do aparelho digestivo, a apendicite aguda pode provocar a ruptura do apêndice e gerar uma inflamação no peritônio – membrana que recobre a parede abdominal. Fatores que provocam a rigidez do abdômen, dores intensas e dificuldade para se locomover.

“A cirurgia para esses casos é fundamental e, por isso, o paciente deve ser encaminhado o quanto antes ao pronto socorro para evitar uma infecção generalizada, ou sepse”, conta o especialista, em artigo publicado pelo Hospital Nove de Julho.

Principais sintomas da apendicite

Conforme indicação do Ministério da Saúde, as principais causas da apendicite são:

  • Dor pontual, contínua e localizada do lado inferior direito do abdômen. Costuma ser fraca no início e se intensificar gradativamente;
  • Náuseas, vômitos e perda de apetite;
  • Dor na parte alta do estômago ou ao redor do umbigo;
  • Flatulência, indigestão, diarreia ou constipação;
  • Febre, que, geralmente, começa após 1 ou 2 dias;
  • Mal-estar geral, que pode ser confundido com um problema alimentar.

Após o diagnóstico de apendicite aguda, o tratamento é exclusivamente cirúrgico, com a remoção do apêndice. Ela deve ser realizada o mais rápido possível, para evitar complicações e danos graves para a saúde do paciente. Por isso, é fundamental seguir as recomendações abaixo.

Recomendações importantes

1) Em caso de dor na parte baixa e do lado direito do abdômen, procure assistência médica imediatamente. Pode ser uma crise de apendicite aguda.

2) Não se recuse a ficar internado no hospital, enquanto o diagnóstico não for esclarecido. Você pode precisar de cirurgia de emergência.

3) Apenas um profissional de saúde, devidamente capacitado, pode diagnosticar e propor tratamentos para o problema. A automedicação é extremamente perigosa.

Fontes: Ministério da Saúde e Hospital Nove de Julho.

Leia também