30 anos mais nova: cientistas conseguem rejuvenescer células da pele

Descoberta faz parte de um estudo realizado no Reino Unido. Mulher de 53 anos ficou com a pele equivalente à de uma mulher de 23 anos

Rejuvenescer células da pele pode abrir caminho para o tratamento de doenças
Rejuvenescer células da pele pode abrir caminho para o tratamento de doenças - Shutterstock

por Redação SD
Publicado em 11/04/2022 às 09:23
Atualizado às 09:23

Facebook Saúde em DiaPinterest Saúde em Dia

Manter um aspecto jovem sempre foi um dos grandes desejos da humanidade. Inevitavelmente, com o passar dos anos, a produção de colágeno e de outras substâncias fundamentais para a elasticidade e beleza da pele começam a diminuir e o envelhecimento torna-se uma certeza. Por mais que, durante toda a vida, você tenha um bom skincare e mantenha a saúde do corpo em dia, essa hora vai chegar.

Mas, de acordo com um experimento realizado por cientistas do Instituto Babraham, de Cambridge, no Reino Unido, todo esse processo de envelhecimento pode estar com os dias contados. Utilizando a técnica IPS, que consiste em adicionar substâncias químicas em células adultas por alguns dias, eles conseguiram rejuvenescer em 30 anos a pele de uma mulher de 53 anos.

O estudo foi publicado na revista científica eLife e ainda está em estágio inicial. Em entrevista à BBC News, Dilgeet Gill, um dos integrantes da equipe que coordena as pesquisas, revelou que se sentiu surpreso e emocionado com os resultados do experimento.

Para Wolf Reik, chefe da equipe, a descoberta pode abrir caminho para o tratamento de diversas doenças e condições, como diabetes, distúrbios neurológicos e problemas no coração. Segundo o cientista, o objetivo do estudo é encontrar maneiras de estender a vida humana e não apenas a vida. Para que as pessoas consigam envelhecer com saúde.

Apesar das boas notícias, ainda é preciso ter cautela e paciência. O método IPS, que foi utilizado pelos pesquisadores, não é considerado seguro e pode facilitar o desenvolvimento de câncer. Por isso, os cientistas ainda estudam uma maneira segura e viável para aplicar suas descobertas na sociedade.

Além disso, pode ser que as células de outros tecidos – diferentes da pele – não reajam da mesma maneira e o efeito rejuvenescedor não seja o mesmo. Dessa forma, ainda é distante falar em um elixir da juventude ou uma pílula antienvelhecimento. O que se pode comemorar, por enquanto, são os avanços da ciência, rumo à uma vida mais longa e saudável para a humanidade.

Fonte:BBC News

Leia também