Connect with us

O que você está procurando?

Busca

Notícias

Células-tronco presentes na polpa do dente podem tratar doenças; veja

Pesquisadora explica que o dente de leite e os sisos têm células-tronco com potencial terapêutico para o tratamento de diversas doenças

Células-tronco presentes na polpa do dente podem tratar doenças; veja
Células-tronco presentes na polpa do dente podem tratar doenças; veja - Foto: Shutterstock

Quanto vale um dente de leite? Essa é uma dúvida que certamente atinge as crianças que acreditam na lenda da “fada de dente”, e esperam encontrar uma moeda debaixo do travesseiro após perder um dente. Financeiramente, não podemos estimar. Mas, em questão de saúde, esse valor é alto.

Isso porque as células-tronco contidas no interior dos dentes de leite têm um potencial terapêutico de recompor células e tecidos danificados ou perdidos em decorrência de diversas doenças. É o que explica a médica e cientista Karolyn Sassi Ogliari, pós-doutora em Biologia Regenerativa e Células-Tronco.

“Doenças autoimunes como lúpus eritematoso sistêmico, neurológicas como a doença de Huntington e AVC, depressão, periodontites, COVID-19, são alguns dos tratamentos sendo testados com as células-tronco de origem odontológica”, explica Karolyn. 

“Quanto mais jovens as células-tronco coletadas, melhor é o seu potencial regenerativo. A coleta da polpa do dente é mais uma oportunidade de obter um material biológico jovem. Ele poderá servir para uma terapia celular regenerativa futura conforme os resultados dos ensaios clínicos”, afirma.

De acordo com a especialista, as células-tronco da polpa do dente são do tipo mesenquimal. Esse tipo apresenta uma grande capacidade de multiplicação e um risco reduzido de promover rejeição quando utilizadas de uma pessoa para outra. No entanto, Karolyn destaca que a quantidade de células da polpa do dente é menor que a do tecido do cordão umbilical. 

“Do tecido do cordão a gente consegue extrair uma quantidade muito maior de células mesenquimais para começar uma cultura, para expandi-las. A polpa do dente possui um número um pouco menor de células”, compara. “Mas a polpa do dente de leite é uma alternativa muito importante para os pais que não puderam coletar o tecido do cordão umbilical do filho durante o nascimento”, afirma.

Como coletar essas células-tronco?

A obtenção da polpa do dente de leite é um processo não invasivo e que pode ocorrer durante o período de troca dos dentes da criança, entre os 5 e 12 anos. De acordo com Karolyn, é importante coletar as células antes de o dente cair. Já em adultos, existe a possibilidade de coletar nos dentes sisos, no momento da extração. 

“Coletar e armazenar esse material biológico é uma atitude preventiva de quem deseja maior segurança para a família no caso de uma possível necessidade. O papel das células-tronco, tanto as da polpa do dente, como as do tecido do cordão, do sangue do cordão ou de outros tecidos, é de ser uma fonte de material biológico armazenado, que possibilite estudo, correção de alterações e produção de terapias de forma personalizada e específica”, avalia Karolyn.

Advertisement

Você também vai gostar

Doenças

Médico aponta que a acupuntura pode trazer benefícios para pacientes com artrite reumatoide, doença intestinal inflamatória e esclerose múltipla

Saúde Mental

Influenciadora recebeu diagnóstico para psicose aguda após desistir do reality show. Entenda as causas e os sintomas do transtorno

Notícias

Assim como escovar os dentes todos os dias, médico otorrino recomenda realizar a lavagem nasal diariamente

Doenças

Com aspectos bastante semelhantes, o lipedema e a celulite são frequentemente confundidos, o que atrapalha o tratamento das condições