Connect with us

O que você está procurando?

Medicamentos

Suplementos de curcumina podem causar efeitos colaterais; entenda

A curcumina, substância encontrada na cúrcuma, pode trazer uma série de alterações para o organismo, levando ao desenvolvimento de doenças

Suplementos de curcumina podem causar efeitos colaterais; entenda
Suplementos de curcumina podem causar efeitos colaterais; entenda - Foto: Shutterstock

A curcumina é um composto ativo encontrado na Curcuma longa, uma planta comum principalmente na culinária indiana. Os suplementos a base de curcumina são populares por seus potenciais benefícios anti-inflamatórios e antioxidantes. Graças a isso, eles podem trazer benefícios como redução da dor e ser opção para tratamentos de câncer. Além disso, melhoram a saúde cardiovascular e cognitiva, prevenindo doenças neurodegenerativas — como o Alzheimer, por exemplo.

No entanto, conforme esse tipo de suplemento se tornou popular, as pessoas passaram a utilizá-lo indiscriminadamente, o que pode gerar uma série de problemas. De acordo com a geneticista e bióloga molecular, Susana Massarani, é necessário analisar individualmente cada paciente antes de dar início à suplementação.

“A curcumina é realmente um excelente suplemento, mas para algumas pessoas pode potencializar alguns problemas sérios de saúde. Tudo é uma questão de observar o paciente individualmente em relação aos genes e ao custo-benefício (não monetário, mas na saúde) para aquele paciente em determinado momento da vida. Não se pode mais fazer medicina sem levar em consideração essas particularidades”, ressalta.

Por que é preciso atenção?

Para o Dr. Fabiano de Abreu Agrela, biólogo e Pós PhD em Neurociências, biólogo e aluno de genômica de Susana Massarani, é preciso olhar além dos benefícios atribuídos à cúrcuma. “Temos que analisar o processo nutricional com base nas alterações genéticas que cada indivíduo pode portar”, afirma.

A especialista ainda destaca que o que encontramos em suplementos não é o alimento cúrcuma, e sim a curcumina, que é o composto bioativo, o que os torna mais concentrados. “Ingerir a cúrcuma em si é uma coisa, usar a curcumina isolada de forma indiscriminada é outra”, afirma Susana.

Os suplementos a base de curcumina estão à venda livremente com concentrações de mais de 90% da substância prometendo melhoras na circulação, cognição e desempenho sexual. Apesar disso, é fundamental ter cuidado ao consumir esses produtos sem acompanhamento médico.

Isso porque o produto pode impactar negativamente a genética do corpo para uma série de doenças. “O risco seria reduzir a expressão de genes que já seria menor no caso do paciente portar variantes que diminuem sua expressão. No caso da COMT, do MAOA e do MAOB, sua expressão adicionalmente reduzida pode aumentar a predisposição à depressão, câncer e várias condições neurológicas e psiquiátricas já que estão envolvidos nessas características”, adverte.

“O importante é a pessoa conhecer sua informação genética para que uma suplementação funcione e não se torne um tiro no pé”, finaliza o Dr. Fabiano de Abreu.

Advertisement

Você também vai gostar

Sem categoria

O glaucoma é a principal causa de cegueira irreversível no mundo. Entenda a importância do diagnóstico precoce

Saúde Bucal

A cárie oculta costuma surgir em locais onde a escova de dentes e o fio dental não alcançam. Veja como identificar o problema

Beleza

A rinoplastia é uma das cirurgias plásticas mais feitas no Brasil, mas ainda é cercada de muitos mitos e tabus

Dor

Ortopedista aponta que a dor pode surgir no quadril sem percebermos, e irradiar para o joelho, causando bastante desconforto