Connect with us

O que você está procurando?

Diabetes

Dia da Mulher: iniciativa estimula autoestima entre mulheres com diabetes

Paciente com diabetes desde os 6 anos de idade conta como as mulheres sofrem impactos além da doença, principalmente na autoestima

Dia da Mulher: iniciativa estimula autoestima entre mulheres com diabetes
Dia da Mulher: iniciativa estimula autoestima entre mulheres com diabetes - Foto: Reprodução Shutterstock

A diabetes atinge homens e mulheres, mas o público feminino é predominante entre os pacientes com a doença. De acordo com o Estudo Observatório de Atenção Primária em Saúde, realizado pela Umane, as mulheres representam 57% das pessoas com hipertensão e diabetes nas principais capitais brasileiras. 

Além disso, um dado preocupante revela que houve um aumento de 54% nos casos de diabetes no público feminino ao longo dos últimos 15 anos.

As mulheres diabéticas, no entanto, lidam não apenas com os desafios da condição, mas também com questões específicas de saúde que afetam sua autoestima e qualidade de vida. 

Desafios além da doença

Beatriz Scher, 30, foi diagnosticada com diabetes tipo 1 aos 6 anos de idade, e compartilha com outras pessoas através das redes sociais os desafios enfrentados por conta da condição. 

“A principal dificuldade que eu enfrento é durante o período menstrual. A glicemia torna-se mais difícil de controlar devido à resistência à insulina e sensibilidade aumentada. Muitas mulheres também enfrentam a vergonha de usar dispositivos como bombas de insulina, o que pode afetar a autoestima”, afirma.

Segundo ela, algumas mulheres têm vergonha de aplicar insulina em público ou por questões estéticas relacionadas ao ganho de peso. A influencer também destaca a diabulimia, um problema sério em que mulheres omitem a insulina para perder peso, colocando suas vidas em risco. 

Outro agravante que Beatriz levanta é o desestímulo que a mulher com diabetes tem para engravidar, visto que essa pode ser uma gestação de risco. “Não devemos desistir, mas sim buscar médicos que apoiem nossos objetivos. O diabetes não deve ser uma barreira, mas sim o desconhecimento de algumas pessoas. Encontre quem ajude a alcançar seus sonhos”, enfatiza.

Dispositivos especialmente para a mulher diabética

Hoje, Beatriz dedica sua vida a ajudar outras pessoas que passam pela mesma condição médica. A influencer e empresária desenvolveu produtos inéditos como um biquíni com espaço para bomba de insulina, uma lingerie de perna para diabéticas e outros itens para ajudar sua comunidade a superar as questões de autoestima e se sentirem mais confiantes.

Foto: Reprodução Biabética
Foto: Stella Ribeiro.

Através da loja online Biabética, Beatriz oferece acessórios que fogem ao padrão por serem personalizados, divertidos e funcionais para pessoas com diabetes. Esta tem sido uma forma descontraída de lidar com um problema crescente entre a população feminina brasileira.

Prevenção do diabetes

Mais de 13 milhões de brasileiros vivem com diabetes, indica a Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD). O dado é alarmante do ponto de vista de saúde pública, visto que a doença é fator de risco para uma série de complicações. Por isso, quando falamos desta patologia, a prevenção é sempre o melhor caminho.

A professora do curso de Nutrição da Faculdade Anhanguera, Juliane Casas, explica que o diabetes tipo 2 (aquele em que o organismo não consegue utilizar a insulina que produz) é o mais frequente e pode ser evitado. 

Conforme Juliana, manter uma alimentação saudável, equilibrada, redução de doces, e rica em legumes, verduras  e frutas, é uma boa estratégia. 

Além disso, no caso de pessoas obesas, emagrecer é uma boa solução para o controle da glicemia. Aliás, vale reforçar que adotar uma alimentação saudável independe de ter ou não a doença, ou de estar ou não acima do peso.  

“As pessoas acabam associando de maneira indevida o elevado peso corporal à necessidade de uma alimentação saudável, mas é preciso destacar que todas as pessoas, tendo ou não obesidade ou diabetes, precisam seguir uma dieta balanceada e também praticar atividades físicas. Isso não só para emagrecer, mas para ter saúde a longo prazo, principalmente na terceira idade”, recomenda a nutricionista. 

Advertisement

Você também vai gostar

Doenças

Também conhecida como hipertensão, a pressão alta atinge 32,5% da população adulta brasileira, o que representa 36 milhões de pessoas. Além disso, mais de...

Notícias

O ritmo e a frequência da pulsação fornecem informações sobre a saúde cardíaca. Aprenda a checar em casa

Alimentação

Consumir açúcar refinado aumenta os níveis de gordura no corpo e o risco de desenvolver doenças como diabetes. Saiba como substituir o produto

Dor

15% dos brasileiros sofrem com enxaqueca, condição que pode ser tratada de diferentes formas. Veja quais terapias podem ajudar