Connect with us

O que você está procurando?

Notícias

Masturbação melhora o sexo e faz bem à saúde, aponta especialista

Hormônios liberados durante a masturbação contribuem para a saúde mental e podem até mesmo prevenir dores, além de melhorar o sexo

Masturbação melhora o sexo e faz bem à saúde, explica especialista
Masturbação melhora o sexo e faz bem à saúde, explica especialista - Foto: Shutterstock

Um estudo realizado pela plataforma Gleeden, plataforma dedicada à promoção de encontros extraconjugais e relações não monogâmicas, procurou entender algumas experiências vividas por seus usuários na hora H.

A pesquisa descobriu que 90% dos homens alcançam “mais e melhores orgasmos por meio da masturbação”. Já, entre as mulheres, 43% responderam que os “melhores orgasmos são originados da masturbação”. Outras 33%, afirmaram que “os melhores orgasmos vêm tanto da masturbação quanto de quando fazem sexo”.

Ainda de acordo com a pesquisa, 44% dos entrevistados (90% homens e 10% mulheres) contaram que se masturbam várias vezes na semana para alcançar o orgasmo. Outros 40% recorrem à prática diariamente (94% homens e 6% mulheres); e 16% apenas algumas vezes por mês (71% homens e 29% mulheres).

Benefícios da masturbação

Os números mostram que a masturbação é uma realidade frequente na rotina de muitas pessoas, que podem aproveitar os benefícios promovidos pela prática. A oxitocina e a dopamina são os dois principais hormônios responsáveis ​​pelas boas sensações que a pessoa experimenta. Por isso, são os grandes responsáveis pelo prazer. 

A oxitocina é o hormônio capaz de reduzir o nível de estresse. Já a dopamina controla as respostas mentais e emocionais, facilitando o sentimento de felicidade. Como consequência, a mistura dessas substâncias químicas causa efeitos positivos na saúde mental

Segundo a sexóloga do Gleeden, Luciane Cabral, o ato de chegar ao orgasmo faz bem também ao físico e pode até mesmo evitar dores. “As contrações musculares e toda a irrigação sanguínea da região ajudam a manter um bom assoalho pélvico, prevenindo flacidez local e ajudando, por exemplo, em questões de escape urinário”, explica. 

“Além disso, as liberações hormonais com orgasmo aliviam cólicas menstruais, estresse, dores de cabeça, melhora a autoestima e provoca sensação de relaxamento e satisfação. Antes de dormir, auxilia em uma noite mais restauradora”, acrescenta a especialista.

Uma aliada do sexo

Luciana conta que a prática da masturbação, combinada ou não com outros elementos, pode auxiliar na construção do orgasmo sozinho ou com parceiros. “Sozinho ou sozinha, sugiro criar um momento para potencializar as sensações. Colocar uma música, vídeo ou filme que te instigue, usar lubrificantes ou géis que esfriam, aquecem ou vibram e tentar posições diferentes podem permitir novos prazeres”, orienta.

“Já, com o parceiro, vale tudo”, diz Luciana. A séxologa sugere abusar do olhar, tocar, movimentar-se, beijar e mostrar a respiração ofegante. Além disso, experimentar o autotoque é uma forma de libertação, afirma.

Vale lembrar que praticar a masturbação, além de ser uma forma de chegar ao orgasmo, também é uma excelente forma de explorar e descobrir o seu corpo. “Ao conhecer seu corpo, você se sente mais seguro em seu relacionamento, tem um bom entendimento do que gosta e é capaz de comunicar-se com seu parceiro de forma mais natural, maximizando o prazer”, finaliza Luciana Cabral.

Advertisement

Você também vai gostar

Saúde Mental

Whindersson utilizou o X, antigo Twitter, para desabafar sobre problemas que enfrentou com sua saúde mental. Psicanalista comenta o caso

Saúde Mental

Estudo publicado na revista JAMA Network detalhou a eficácia da cannabis medicinal da redução dos sintomas de ansiedade e depressão

Saúde Mental

A dismorfia corporal faz a pessoa ver sua imagem de maneira distorcida, provocando problemas

Saúde Mental

Ator recebeu diagnóstico para Síndrome do Pânico em 2020 e, mesmo com tratamento, ainda enfrenta crises severas de ansiedade