Mitos e verdades sobre métodos para adiantar a menstruação

Famosas na internet, as alternativas para adiantar menstruação devem ser tomadas com cuidado para não afetar a saúde reprodutiva

Métodos para adiantar a menstruação: conheça os mitos e verdades
Métodos para adiantar a menstruação: conheça os mitos e verdades - Shutterstock

por Redação
Publicado em 25/05/2022 às 08:00
Atualizado às 08:00

Facebook Saúde em DiaPinterest Saúde em Dia

Um ciclo menstrual dura entre 24 e 28 dias, mas qualquer atraso nesse período pode fazer com que mulheres de diferentes idades busquem adiantar a menstruação. A razão está, muitas vezes, na possibilidade de uma gravidez ou no receio de algum problema que envolva a saúde reprodutiva.

Com uma simples pesquisa, é possível encontrar alternativas para essas mulheres que aguardam ansiosas a chegada da menstruação. Mas, será que as informações são confiáveis? Para compreender de uma vez por todas se é mesmo possível controlar a chegada do ciclo, a ginecologista Dra. Luana Ariadne Zanchetta Souza esclarece a viabilidade dos métodos divulgados por aí.

O que a menstruação atrasada pode indicar?

Primeiro é preciso entender o que o atraso no ciclo está sinalizando sobre nosso corpo - e não, nem sempre o motivo é uma gravidez. “A lista de possíveis causas é grande. Em mulheres que possuem ciclo regular, o atraso pode sim trazer a possibilidade de gravidez, mas também de desequilíbrios hormonais pelo uso irregular do anticoncepcional oral ou da pílula do dia seguinte, assim como situações emocionais, como estresse e ansiedade”, exemplifica Luana.

A especialista indica que, dentre as possibilidades, é possível incluir também variações bruscas de peso, excesso de atividade física, disfunções da tireoide, efeitos da síndrome dos ovários policísticos e quadros infecciosos. Caso haja persistência do atraso, é importante consultar um médico.

Mitos e verdades sobre a menstruação

É verdade que há alimentos com o poder de fazer a menstruação descer? Mito, uma vez que não há nenhuma comprovação científica que confirme essa ação. “O consumo de determinadas ervas em alta concentração pode provocar contrações uterinas e, possivelmente, estimular o fluxo menstrual. Alguns chás são usados com esta finalidade, como o chá de canela, que tem propriedades que estimulam a circulação sanguínea e o aumento da pressão e contração uterina”, explica a especialista, que alerta: o chá pode provocar interferência na absorção de medicamentos.

Relações sexuais podem fazer a menstruação descer mais rápido? Verdade. “Durante o ato sexual, o corpo se aquece e, se estiver sendo prazeroso, o útero pode dilatar, criando um aumento do fluxo sanguíneo e levando a uma perda sanguínea que não gera agravo para a saúde da mulher”, comenta a ginecologisa. Além disso, as relações sexuais liberam endorfina e serotonina, substâncias produzidas pelo cérebro que têm ligação direta com o nosso prazer e bem-estar.

A pílula do dia seguinte atrasa a menstruação? Verdade. Um dos principais efeitos colaterais da pílula é a alteração do ciclo menstrual, causando atrasos que podem chegar a 10 dias. “Vale lembrar que esse método contraceptivo é adotado para casos de emergência e seu uso deve se dar em situações específicas e não de forma indiscriminada ou sistemática”, orienta Luana.

Quando a menstruação atrasada se torna um alerta

A ginecologista explica que em pacientes adolescentes com ciclos recentes ou mulheres na iminência da menopausa, pode haver variação de até 45 dias ou até ciclo prolongado. Por isso, atrasos de até 15 dias podem ser considerados normais nesses casos, e também para mulheres jovens que passam por estresse emocional. A especialista alerta que, ao notar qualquer alteração que fuja desse padrão, é hora de procurar um médico.

Fonte: Dra. Luana Ariadne Zanchetta Souza, ginecologista do Hospital Edmundo Vasconcelos.

Leia também