Vacinação infantil: 8 mitos e verdades sobre o efeito dos imunizantes

Epidemiologista esclarece as principais dúvidas sobre o assunto e reforça a importância da vacinação infantil

Vacinação infantil é importante passo para combater a Covid-19
Vacinação infantil é importante passo para combater a Covid-19 - Shutterstock

por Redação SD
Publicado em 11/02/2022 às 11:00
Atualizado às 11:00

Facebook Saúde em DiaPinterest Saúde em Dia

O programa de vacinação infantil contra a Covid-19 começou no início desse ano no Brasil. No entanto, alguns pais ainda não foram levar os seus filhos de 5 a 11 anos de idade para receber a primeira dose do imunizante. O motivo pode variar, mas, geralmente, tem relação com falta de informação e, consequentemente, insegurança sobre possíveis efeitos colaterais e até mesmo se há necessidade de proteger os pequenos.

Dessa maneira, vale ressaltar que a vacinação infantil é algo importante e seguro. Sem falar que, sem isso, a pandemia não terá fim. “Precisamos ter em mente que vacinar crianças e adolescentes contra a Covid-19 é uma questão prioritária de saúde pública. Já falamos sobre isso quando começamos a vacinar adultos e idosos e, ao longo desses meses, podemos observar o quanto as vacinas têm colaborado para a diminuição dos casos mais graves e mortes”, comenta o Dr. Mauro Cardoso, médico epidemiologista e cientista.

Para esclarecer os principais pontos de dúvida sobre a vacinação infantil, o especialista separou oito mitos e verdades sobre o assunto. Confira:

1 – Vacina é mais perigosa que a própria Covid-19 – MITO

“Um levantamento feito pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) revela que 4,7 milhões de crianças, com idades entre 5 e 9 anos, tiveram Covid-19 em 102 países. Destas, 1.788 morreram. Em contrapartida, não há nenhuma confirmação de morte causada pela vacina. E, segundo informações do Center for Disease Control and Prevention (Centro de Controle e Prevenção de Doenças, em tradução literal), foram aplicadas 8,7 milhões de doses da vacina em crianças de 5 a 11 anos, no mundo. Ou seja, as chances de os jovens virem a óbito em decorrência da doença é absurdamente maior do que pela vacina”, revela o médico.

2 – Vacinação infantil é eficiente – VERDADE

“No caso da vacina da Pfizer, por exemplo, a empresa realizou um estudo que foi enviado à Anvisa, com quase quatro mil voluntários. Nesses testes, a vacina apresentou 90% de eficácia, número próximo ao valor de eficiência em adultos”, conta.

3 – É melhor as crianças criarem anticorpos se contaminando – MITO

A vacina impulsiona o sistema imunológico para produzir uma resposta ao vírus, da mesma forma que a doença original, mas sem trazer riscos para a pessoa. A doença pode levar a inúmeras complicações, sequelas e até mesmo matar”, explica o Dr. Cardoso.

4 – Covid-19 pode causar mais danos do que a vacina – VERDADE

“As chances de os jovens desenvolverem miocardite — uma inflamação da camada média da parede do coração – após contrair a doença ou pós infecção viral é cem vezes maior do que para aqueles que tomaram a vacina. Como eles possuem as vias respiratórias menores do que a dos adultos, qualquer secreção causada por essas infecções virais pode obstruir essas vias e levar até à morte”, alerta o epidemiologista.

5 – Só no Brasil tem vacinação infantil - MITO

“Outros países também estão vacinando as crianças, como Estados Unidos, Colômbia, China, Reino Unido, Canadá, Israel, Cuba e Argentina. Além de países da União Europeia, por exemplo. Países de várias orientações político-econômicas diferentes usam vacinação infantil para a Covid-19 e outras doenças”, conta.

6 – A vacina das crianças é diferente – VERDADE

“De acordo com a Anvisa [Agência Nacional de Vigilância Sanitária], a dosagem e composição da vacina da Pfizer, por exemplo, é diferente da que está sendo administrada em maiores de 12 anos. A dosagem é equivalente a um terço da aplicada em adultos. Mas, a diferença é principalmente na dose, não no mecanismo de ação. Além disso, há diferenças na apresentação, por exemplo, a cor da tampa da embalagem do imunizante para o público infantil é laranja, enquanto para maiores de 12 anos é roxa”, explica o médico.

7 – Efeitos colaterais da vacina podem deixar sequelas - MITO

“Os efeitos colaterais de uma vacina são as respostas normais do próprio sistema imunológico; são leves e significam apenas que o organismo reagiu. Não deixa sequelas. E os efeitos do imunizante contra a Covid-19 aplicados em crianças e adolescentes são os mesmos observados nos adultos. A doença sim pode deixar sequelas e afetar a qualidade de vida, quando experimentada em suas formas mais graves. A vacina previne justamente isso”, afirma o especialista.

8 – Mesmo as crianças tendo casos mais leves da doença ainda é importante vacinar - VERDADE

Ainda que os jovens peguem a Covid-19 e apresentem quadros menos severos, eles continuam transmitindo o vírus para seu círculo de convivência. Fora isso, mesmo pegando de forma mais “leve”, não significa que não seja uma situação preocupante. De acordo com o Ministério da Saúde, ao menos 852 crianças de até 9 anos morreram em decorrência da Covid-19, de fevereiro de 2020 a 15 de março de 2021. Entre elas, 518 eram bebês menores de um ano de idade”, finaliza o Dr. Cardoso.

Leia também