Herpes: causas, prevenção e tratamento do possível caso de Eliezer, do BBB22

Brother, que já beijou duas pessoas na casa, pode estar com infecção altamente contagiosa. Saiba mais sobre herpes

Eliezer, supostamente, está com herpes
Eliezer, supostamente, está com herpes - Reprodução Instagram @eliezer

por Redação SD
Publicado em 10/02/2022 às 12:57
Atualizado às 12:57

Facebook Saúde em DiaPinterest Saúde em Dia

O herpes é uma doença, até certo ponto, recorrente entre as pessoas. De acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), ele é uma infecção viral comum, para a qual 99% da população adulta já adquiriu imunidade na infância e na adolescência. No entanto, se não for tratado corretamente, pode causar desconfortos e feridas mais sérias na região afetada.

Dessa maneira, um episódio envolvendo herpes chamou a atenção do público do BBB22 na madrugada desta quinta-feira (10). Durante uma festa na casa mais vigiada do Brasil, Eliezer e Natália protagonizaram um beijão daqueles. O grande ponto é que Eli já havia trocado beijos com Maria, outra participante do programa.

Por esse motivo, após o episódio com Natália, Eliezer resolveu conversar com Maria, que não se importou muito com o fato. Mas, fez um alerta importante sobre a saúde dos participantes.

Segundo Maria, Eliezer – que não negou o fato – está com herpes e, mesmo assim, trocou beijos com Natália. Uma atitude arriscada, já que a infecção costuma ser altamente contagiosa. "O vírus pode ficar inativo. Ele já tinha este vírus em seu organismo, porém estava em latência e não poderia ter beijado as sisters com as lesões", conta a dermatologista, Dra. Barbara Carneiro.

Entenda mais sobre herpes e suas causas

Segundo o Ministério da Saúde, o herpes simplex – variação mais comum da doença – se manifesta, geralmente, nos lábios e na região genital. No entanto, também pode acometer qualquer região da pele.

Conforme foi dito anteriormente, o contato com o vírus acontece – na maioria das vezes – durante a infância e a adolescência. Porém, a doença pode não se manifestar nessa época e demorar alguns anos para aparecer.

Entre as principais causas que despertam o vírus do herpes estão: exposição à luz solar intensa, fadiga física e mental, estresse emocional, febre ou outras infecções que diminuam a resistência orgânica.

Sintomas

  • Inicialmente pode haver coceira e ardência no local onde ainda vão surgir as lesões;
  • Na sequência, formam-se pequenas bolhas agrupadas – como se fosse um buquê – sobre área avermelhada e inchada;
  • As bolhas rompem-se liberando líquido rico em vírus e formando uma ferida. É a fase de maior perigo de transmissão da doença;
  • A ferida começa a secar formando uma crosta que dará início à cicatrização;
  • A duração da doença é de, aproximadamente, cinco a 10 dias.

Prevenção e tratamento

Na maioria dos casos de herpes, o próprio organismo – através do sistema imunológico – combate a infecção e se recupera dos sintomas causados pela doença. No entanto, vale a pena consultar um médico para, além de agilizar o processo de regeneração, evitar possíveis complicações.

"O tratamento é através de anti-virais, via oral e tópico. Ele deve fazer uso do medicamento, não compartilhar talher e não ter contato íntimo enquanto estiver com lesões", diz a Dra. Carneiro.

Além disso, caso você suspeite que está infectado, é importante tomar alguns cuidados para não agravar o seu caso e contaminar outras pessoas com herpes. Entre as principais recomendações estão:

  • Não furar as feridas;
  • Evitar beijar ou falar muito próximo de outras pessoas – principalmente de crianças – se a localização da infecção for labial;
  • Interromper as relações sexuais se a localização for genital;
  • Lavar bem as mãos após manipular as feridas, pois a virose pode ser transmitida para outros locais de seu próprio corpo, especialmente as mucosas oculares, bucal e genital.

Fontes: Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e Ministério da Saúde.

Leia também