Gastrite: como aliviar os sintomas por meio da alimentação

Causadora de desconfortos como queimação, dores e azia, a gastrite pode ser atenuada com uma dieta balanceada

Saiba como aliviar os sintomas da gastrite por meio da alimentação
Saiba como aliviar os sintomas da gastrite por meio da alimentação - Shutterstock

por Redação
Publicado em 16/05/2022 às 16:00
Atualizado às 16:00

Facebook Saúde em DiaPinterest Saúde em Dia

Sensação de queimação, azia, dores e até mesmo vômito e perda de apetite. Quem sofre de gastrite convive com todos esses sintomas, impactando diretamente no bem-estar e na qualidade de vida. 

Seja por origem bacteriana ou causada por desequilíbrio ácido estomacal, o distúrbio não depende exclusivamente de remédios para regredir, como explica a Dra. Tabata Cristina Alterats Antoniaci, gastroenterologista do Hospital São Cristóvão Saúde.

Não é de conhecimento popular, mas alguns alimentos têm efeito positivo no processo de digestão e são facilitadores para quem sofre com a gastrite, capazes de reduzir a dor e os demais sintomas. 

“Com cuidado e controle tudo é possível. Um prato balanceado com carboidrato, proteína e legumes já ajuda muito no processo de digestão. Lembrando que a quantidade dos alimentos também influencia. Não se pode comer grandes quantidades no período noturno e nem se deitar após as refeições”, comenta a especialista.

Alimentos que ajudam a aliviar a gastrite

Para pôr um fim nas indesejadas crises e ainda melhorar a saúde gástrica, os alimentos abaixo são essenciais na dieta:

  • Frutas sem acidez, como laranja lima, banana, maçã, goiaba e mamão, bem como o suco dessas frutas;
  • Legumes e verduras: brócolis, bertalha, rúcula e couve e demais alimentos verde escuros;
  • Água de coco;
  • Ovos;
  • Iogurte desnatado ou light;
  • Grãos e pães integrais;
  • Leite e queijos magros;
  • Gelatina;
  • Peixes;
  • Temperos frescos;
  • Chás (erva doce, camomila, cidreira, hortelã, maçã).

Como aliar os remédios e a alimentação

“Dependendo do grau da gastrite, apenas a dieta não é suficiente e é necessário entrar com medicação”, alerta a gastroenterologista. Alimentar-se de forma consciente é, muitas vezes, apenas o primeiro passo para aumentar a sensação de bem-estar. 

“Nas minhas consultas, sempre ressalto que o remédio é 40/50% do tratamento, o restante é responsabilidade do paciente, com mudanças no estilo de vida, comer melhor e devagar, identificando os alimentos que lhe fazem bem”, finaliza a especialista.

Fonte: Dra. Tabata Cristina Alterats Antoniaci, gastroenterologista do Hospital São Cristóvão Saúde.

Leia também