Cardiologista revela 9 maneiras de prevenir a pressão alta

Hipertensão arterial pode comprometer o funcionamento de órgãos como coração, cérebro e rins. Veja como prevenir a pressão alta

Prevenir a pressão alta é fundamental para a saúde
Prevenir a pressão alta é fundamental para a saúde - Shutterstock

por Redação SD
Publicado em 27/04/2022 às 11:00
Atualizado às 11:00

Facebook Saúde em DiaPinterest Saúde em Dia

Antes de saber como prevenir a pressão alta é fundamental saber o que é a hipertensão arterial e o que ela pode provocar no organismo humano. O problema, na verdade, é uma doença que ataca os vasos sanguíneos e pode comprometer o funcionamento de vários órgãos, como coração, cérebro e rins. Se o diagnóstico e o tratamento não forem adequados, a condição pode, inclusive, ser fatal.

Ao aferir a pressão arterial, o ideal é que os marcadores fiquem próximos de 120 por 80 mmHg. Quando o número registrado é igual ou maior do que 140 por 90 mmHg é considerado que o paciente está com a pressão alta. E o grande problema é que a hipertensão não costuma provocar grandes sintomas.

“Chamamos a doença de ‘inimigo silencioso’ porque ela provoca danos no organismo sem dar sinais. São cerca de 300 mil mortes registradas por ano no Brasil devido às doenças no coração e cérebro, segundo o Ministério da Saúde. Por conta desses quadros, podemos certificar que 80% dos óbitos por acidente vascular cerebral (AVC) e 60% dos infartos agudos do miocárdio foram causados pela pressão arterial elevada”, revela o Dr. Celso Amodeo, cardiologista do sono e especialista em hipertensão arterial do Hcor.

Como prevenir a pressão alta

Por esse motivo, as saídas para evitar qualquer tipo de complicação são: realizar consultas periódicas com seu médico para avaliar como anda a pressão arterial e investir em técnicas de prevenção. Dessa maneira, com a ajuda do Dr. Amodeo, separamos 9 maneiras de evitar o desenvolvimento da hipertensão. Confira:

  1. Manter uma alimentação saudável e equilibrada;
  2. Consumir pouco sal;
  3. Praticar exercícios físicos;
  4. Não fumar;
  5. Reduzir a ingestão de bebidas alcoólicas;
  6. Ter uma boa qualidade de sono;
  7. Usar anti-inflamatórios não hormonais apenas com prescrição médica;
  8. Fugir de pílulas anticoncepcionais;
  9. Evitar sprays nasais com vasoconstritores.

Diagnóstico

Mas, mesmo seguindo à risca todas essas recomendações, ainda é possível que, por algum outro motivo, o seu organismo desenvolva uma hipertensão arterial. Por isso, as consultas médicas e a realização de exames são fundamentais para identificar um possível problema ainda no início e aumentar as chances de reverter o quadro.

“Temos casos de hipertensão noturna, durante o sono, que também trazem um risco cardiovascular aumentado aos pacientes, mesmo quando a pressão arterial de vigília está dentro dos valores aceitáveis. Devido às diversas causas da pressão alta, a conduta é baseada em múltiplos medicamentos que agem em diferentes sistemas do organismo”, finaliza o Dr. Amodeo.

Leia também