Connect with us

O que você está procurando?

Notícias

Clima frio e seco: 3 dicas para cuidar da pele no outono

A queda das temperaturas e o clima seco característicos do outono aumentam a sensibilidade e os danos causados à pele

Clima frio e seco: 3 dicas para cuidar da pele no outono
Clima frio e seco: 3 dicas para cuidar da pele no outono - Foto: Shutterstock

Já faz algumas semanas desde que o outono começou, e as temperaturas estão caindo cada vez mais. No entanto, o clima frio e seco da estação exige mais atenção com a pele, o maior órgão do corpo.  Isso porque fatores comuns das épocas mais frias do ano podem favorecer a desidratação da pele. É o caso, por exemplo, do uso de aquecedor, banhos mais quentes e longos e menor transpiração e ingestão de água. Felizmente, tudo pode ser evitado com um guia de cuidados.

Pensando nisso, um time de especialistas explica quais cuidados adotar com a pele no frio. Confira:

Proteção solar

Os raios UVA e UVB são uma das maiores causas de rugas prematuras. Aliás, ao contrário do que se pensa, eles também têm incidência alta no outono e inverno, mesmo em dias chuvosos e nublados. Por isso, o uso diário do filtro solar continua sendo o segredo para manter uma pele jovem, afirma a dermatologista Dra. Paola Pomerantzeff, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia. 

A médica explica que proteger sua pele dos raios ultravioleta ajudará a prevenir a formação de novas rugas. Além disso, ajuda a retardar o agravamento das existentes em seu rosto. Ela destaca ainda que, além do envelhecimento, a radiação solar está associada à carcinogênese e pigmentação da pele, ou seja, formação de manchas. 

“Use o protetor solar diariamente e respeite a reaplicação do produto. Isto é, a cada duas horas em exposição direta e a cada quatro horas em ambientes fechados”, recomenda.

Hidratação dinâmica

A hidratação ajuda a manter a umidade natural da pele e a fortalecer a barreira de proteção contra agressores externos, como a poluição e o clima, segundo a dermatologista Dra. Lilian Brasileiro, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia. 

“Além disso, a hidratação adequada ajuda a melhorar a textura e a suavidade da pele, além de minimizar a aparência de poros dilatados e de irregularidades. É importante escolher um hidratante adequado ao tipo de pele e aplicá-lo regularmente, especialmente após a limpeza da pele e exposição a fatores ambientais que possam ressecá-la, como o sol e o vento”, explica.

Segundo a especialista, é possível potencializar a hidratação com o uso de ingredientes específicos, como ácido hialurônico e ceramidas, que ajudam a reter a umidade na pele. No entanto, manter a umidade da pele é mais do que usar cremes hidratantes: o ideal é ingerir bastante água e apostar também em suplementos orais que ajudam na hidratação dinâmica, melhorando a função de barreira da pele. 

Aposte em esfoliantes, peelings ou ácidos

A Dra. Lilian Brasileiro explica que o esfoliante é um produto de cuidados com a pele que contém partículas granulares ou enzimáticas que ajudam a remover as células mortas da superfície da pele, deixando-a mais suave, luminosa e com aparência renovada. 

“A esfoliação tem uma tripla tarefa: complementar a higienização, remover oleosidade (e células mortas) e desobstruir os poros”, afirma Ana Paula Kascher, diretora comercial da B.URB. O ideal é utilizar esfoliantes não abrasivos para não machucar a derme. Opções mais fortes como o uso de ácidos e a realização de peelings químicos devem sempre ser orientadas pelo médico. 

“O peeling de ácido retinóico, por exemplo, é uma excelente opção para rejuvenescer a face, já que estimula poderosamente a renovação celular do tecido cutâneo, amenizando linhas de expressão e manchas e melhorando o viço e a luminosidade da pele”, destaca a dermatologista Dra. Paola Pomerantzeff, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Sua pele é oleosa? Veja cinco dicas de como controlar o brilho excessivo:

Advertisement

Você também vai gostar

Notícias

Colocado através de cirurgia, o implante coclear é indicado para pacientes com perda auditiva severa à profunda

Notícias

Compressões na coluna vertebral podem pode afetar a funcionalidade dos nervos, levando a sensação de formigamento nas mãos e nos dedos

Doenças

A sarcopenia diminui a massa muscular, a força e, com isso, a qualidade de vida de pessoas idosas - especialmente as sedentárias

Doenças

Casos de AVC e infarto aumentam entre 20% e 30% respectivamente durante o clima frio. Veja como se proteger no inverno