Connect with us

O que você está procurando?

Notícias

Filha de Deolane faz procedimento nas orelhas; criança pode fazer plástica?

A advogada e influenciadora divulgou através de vídeo como foi feita a plástica de otomodelação em sua filha de 6 anos

Filha de Deolane faz procedimento nas orelhas; criança pode fazer plástica?
Filha de Deolane faz procedimento nas orelhas; criança pode fazer plástica? - Foto: Reprodução Instagram (@dra.deolanebezerra)

Na última terça-feira, 28/03, a influenciadora Deolane Bezerra compartilhou um vídeo que deu o que falar em suas redes sociais. Na postagem, sua filha Valentina Bezerra, de 6 anos, passou por um procedimento estético chamado otomodelação avançada. O objetivo era alterar o formato das orelhas, que incomodavam a menina.

“Vamos fazer uma otomodelação nas orelhinhas dela. Ela está se sentindo um pouco incomodada, tampando com o cabelinho. 40 minutinhos, não tem dor, fica só alguns pontinhos”, contou a advogada e influenciadora digital. Com isso, os internautas começaram a questionar se uma criança dessa idade pode passar por uma cirurgia plástica.

O que é a otomodelação?

A otomodelação avançada é um procedimento minimamente invasivo e não cirúrgico, que geralmente envolve o uso de fios para melhorar a aparência das orelhas. Segundo o cirurgião plástico da ONG Em Boas Mãos, Dr. Hugo Sabath, a técnica difere da otoplastia ou cirurgia de prominauris. Isso porque a otomodelação não envolve incisões ou remoção de tecido. Portanto, é uma opção menos invasiva para pessoas que desejam melhorar a aparência das orelhas.

Antes e depois. Foto: Reprodução Instagram (@dra.deolanebezerra)

A diretora da ONG em Boas Mãos e advogada de direito médico Dra. Beatriz Guedes comenta que essa condição de orelhas proeminentes (prominauris), abala a autoestima e eleva a possibilidade de situações desagradáveis e até bullying na infância e adolescência. “É importante a conscientização para o nome técnico prominauris (orelhas proeminentes), para não gerar constrangimento, discriminação e bullying nas pessoas com essa condição.” alerta a profissional.

Além das orelhas proeminentes, a otomodelação é uma opção ótima para pessoas que desejam corrigir lóbulos de orelha rasgados ou alongados, ou ainda para aquelas que desejam melhorar a aparência de orelhas assimétricas. O procedimento é geralmente indolor e pode precisar de apenas uma sessão. Não há necessidade de anestesia nem de tempo de recuperação.

É seguro realizar o procedimento com apenas 6 anos?

“Não há uma idade mínima fixa para realizar uma otomodelação, pois isso pode variar dependendo das circunstâncias individuais de cada paciente. No entanto, é importante considerar que a orelha continua a crescer e se desenvolver durante a infância e a adolescência, o que pode afetar o resultado da otomodelação se o procedimento for realizado muito cedo”, esclarece o Dr. Hugo. 

O médico explica que o procedimento é permitido a partir dos 7 anos de idade, que é quando a cartilagem das orelhas estão completamente formadas. “Para realizar o procedimento em algum menor de idade, ele deverá estar acompanhado por um responsável e o mesmo deverá também concordar com a realização do procedimento”, completa.

É importante destacar que a otomodelação avançada pode não ser uma indicação para todos os casos. Por isso, é sempre recomendável conversar com um especialista para determinar a melhor opção de tratamento para cada indivíduo.

“Em geral, os pais devem conversar com um especialista em otomodelação para determinar a idade mais apropriada para realizar o procedimento, levando em consideração a saúde e a segurança da criança, bem como suas necessidades e desejos estéticos, finaliza o cirurgião plástico.

Advertisement

Você também vai gostar

Notícias

Colocado através de cirurgia, o implante coclear é indicado para pacientes com perda auditiva severa à profunda

Notícias

Compressões na coluna vertebral podem pode afetar a funcionalidade dos nervos, levando a sensação de formigamento nas mãos e nos dedos

Doenças

A sarcopenia diminui a massa muscular, a força e, com isso, a qualidade de vida de pessoas idosas - especialmente as sedentárias

Doenças

Casos de AVC e infarto aumentam entre 20% e 30% respectivamente durante o clima frio. Veja como se proteger no inverno