Surto de dengue: como identificar um possível caso e o que fazer

Boletim epidemiológico divulgado pelo Ministério da Saúde aponta crescimento de 95% em comparação com 2021. Veja como conter o surto de dengue

Surto de dengue gera alerta para saúde pública
Surto de dengue gera alerta para saúde pública - Shutterstock

por Redação SD
Publicado em 20/04/2022 às 16:00
Atualizado às 16:00

Facebook Saúde em DiaPinterest Saúde em Dia

Desde o início do ano o Brasil vive um surto de dengue, que parece estar longe do fim. Segundo um boletim epidemiológico realizado pelo Ministério da Saúde, de janeiro até agora, o número de casos prováveis da doença, em todo o país, é praticamente o dobro quando comparado ao mesmo período de 2021.

O levantamento registrou, aproximadamete, 400 mil casos de dengue – número que indica um aumento de 95% em relação ao ano anterior. Por enquanto, em território brasileiro, a estimativa é de 184 casos para cada 100 mil habitantes.

O surto de dengue se junta aos casos de Covid-19, gripe e até mesmo das doenças típicas do outono. Fator que pode sobrecarregar o sistema de saúde e agravar ainda mais a situação. Por isso, a recomendação é tomar todos os cuidados preventivos diante dessas infecções. No caso da dengue, é necessário apostar no combate do mosquito Aedes Aegypti, evitando água parada e promovendo a conscientização de todos ao seu redor.

Sintomas da dengue

No entanto, como estamos vivendo um surto de dengue, mesmo tomando todos os cuidados de prevenção ainda existe um risco considerável de contágio. Por isso, também é fundamental saber quais são os principais sintomas da doença e o que fazer caso uma suspeita seja identificada. Veja quais sinais um organismo infectado por dengue costuma dar:

  • Febre alta com início súbito;
  • Dor de cabeça;
  • Dor atrás dos olhos, que piora com o movimento deles;
  • Perda do paladar e apetite;
  • Náuseas e vômitos;
  • Tonturas;
  • Extremo cansaço.

O que fazer caso você apresente algum desses sintomas

A dengue, infelizmente, já se tornou uma doença comum para o brasileiro. No entanto, os riscos de uma possível infeção podem ser extremamente graves e levar o paciente para quadros complicados e até mesmo à morte. Dessa maneira, caso você apresente algum dos sintomas acima, a recomedação é procurar a unidade de saúde mais próxima o quanto antes. O diagnóstico rápido é fundamental para evitar problemas mais sérios.

Ignorar os sintomas ou apostar na automedicação pode custar caro. Apenas um médico saberá avaliar o seu caso corretamente e indicar o melhor tratamento possível.

Fontes:Ministério da Saúde e Agência Brasil.

Leia também