Abril é o mês de prevenção e combate à cegueira

O objetivo da campanha é incentivar os cuidados com a saúde ocular

Brasil registra cerca cerca de 1,2 milhão de cegos no país
Brasil registra cerca cerca de 1,2 milhão de cegos no país - Shutterstock

por Julia Natulini
Publicado em 28/04/2021 às 16:30
Atualizado às 16:30

COMPARTILHEFacebook Saúde em DiaPinterest Saúde em Dia

O Abril Marrom é uma campanha de prevenção e combate às diversas espécies de cegueiras, que foi criado em 2016 com o objetivo de alertar a população sobre o assunto.

Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), só no Brasil constam cerca de 1,2 milhão de cegos, sendo que 60% a 80% dos casos de cegueira poderiam ser tratados ou até evitados se diagnosticados precocemente.

Além disso, de acordo com a Agência Internacional de Prevenção à Cegueira (IAPB) no Brasil, cerca de 33 mil crianças são cegas devido às doenças oculares que poderiam ter sido evitadas ou tratadas precocemente.

É importante realizar visitas periódicas ao oftalmologista para prevenir doenças que causam a cegueira, como: glaucoma, ceratocone, catarata, entre outras. O diagnóstico precoce e o tratamento adequado são fundamentais para que o paciente possa manter uma boa visão ao longo da vida.

De acordo com o Alexandre Misawa, médico oftalmologista do Hospital HSANP existem alguns fatores que influenciam na saúde ocular. Desde a alimentação, hábitos saudáveis, aos exames preventivos -- esses devem ser realizados, pelo menos, uma vez ao ano.

Além disso, Alexandre destaca a importância em não ingerir bebidas alcoólicas e retirar qualquer tipo de vício ao tabagismo. “Já existem vitaminas direcionadas a melhorar a saúde dos olhos e da lágrima, mas o ideal é tratar o glaucoma, catarata e outras doenças oculares regularmente para não comprometer a visão”, finaliza o oftalmologista.  

A conscientização do Abril Marrom é necessária, principalmente, devido à cultura popular de consultar ajuda médica somente quando se percebe algo de estranho e não regularmente, de forma preventiva. Esse deslize pode custar caro ou até mesmo a perda total ou parcial dos sentidos mais aguçados do ser humano.

Leia também