Connect with us

O que você está procurando?

Alimentação

Dia Mundial da Saúde Digestiva: 8 alimentos que melhoram a digestão

Saiba o que comer para manter o bom funcionamento do organismo

Alimentos que melhoram a digestão
Alimentos que melhoram a digestão - Foto: Shutterstock

Hoje, 29 de maio, é o Dia Mundial da Saúde Digestiva, data perfeita para entender melhor quais são os alimentos que melhoram a digestão. Afinal, a dieta é fundamental para o bom funcionamento dos órgãos responsáveis pela absorção de nutrientes no organismo.

Além disso, vale lembrar que a data se oficializou pela Organização Mundial de Gastroenterologia. E tem o objetivo de orientar a população sobre a importância da prevenção de doenças no aparelho digestivo.

Sendo assim, uma boa pedida para essa data é entender melhor quais são os alimentos que melhoram a digestão. E, além disso, descobrir por qual motivo cada um desses ingredientes entrou na lista. Confira:

Alimentos que melhoram a digestão

Chás digestivos – Algumas ervas possuem propriedades especiais que auxiliam o fluxo gastrointestinal e podem contribuir para uma boa digestão. Alguns exemplos são:  hortelã, erva-cidreira, camomila, alecrim, sálvia, menta

Abacaxi –  “A fruta sempre é lembrada como um alimento que ajuda na digestão, graças a presença de uma enzima chamada bromelina”, explica a nutricionista Fernanda Brunacci.

Gengibre – A especiaria é capaz de promover uma espécie de desintoxicação do organismo, além de evitar náuseas e enjoos. “Inclusive gestantes em situações de vômitos no pós-operatório, o que pode reduzir a demanda de medicamentos antieméticos”, diz a médica nutróloga, Dra. Marcela Garcez.

Mamão – De acordo com a nutricionista Adriana Stavro, a fruta tem uma enzima chamada papaína, que pode tornar a proteína mais fácil de ser digerida. Além disso, o mamão também é famoso por soltar o intestino.

Ameixa – “Seu elevado teor de fibras, celulose e pectina, auxilia o funcionamento intestinal promovendo efeito laxativo. Esse efeito torna-se ainda mais intenso devido à presença de quantidades significativas de sorbitol e isatina. Mais disponíveis na versão desidratada (ameixa seca)”, conta Glaucia Braggion, nutricionista e professora de nutrição.

Laranja – “A laranja ajuda no processo digestivo por conta de fibras, como a pectina e celulose. Dessa forma, este é um motivo pelo qual as pessoas costumam ingeri-la após as refeições. A pectina também protege o corpo das doenças cardiovasculares. Graças as propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias, essa fruta cítrica combate os radicais livres que envelhecem a pele. No geral, ela fortalece o sistema imunológico”, aponta a nutricionista Fabiana Freire.

Tangerina – Um dos principais nutrientes encontrados na tangerina é a vitamina C. “Essa vitamina ainda ajuda a elevar a absorção do ferro no processo digestivo, o que auxilia na prevenção de anemia”, afirma a nutricionista Cyntia Maureen.

Leguminosas

Quando o tema são os alimentos que melhoram a digestão, as leguminosas merecem um capítulo a parte. Afinal, elas possuem um alto teor de fibras, componente fundamental para o bom funcionamento do intestino. Entre elas estão o feijão, a lentilha e o grão-de-bico.

“Além de fornecerem mais energia e uma sensação de saciedade, elas são responsáveis por outros benefícios para a saúde. Afinal, também atuam no funcionamento do sistema digestivo, aumentam a imunidade, são capazes de controlar os níveis de glicemia e colesterol e ajudam no combate à anemia”, finaliza a nutricionista Fabiana Freire.

Advertisement

Você também vai gostar

Notícias

O ritmo e a frequência da pulsação fornecem informações sobre a saúde cardíaca. Aprenda a checar em casa

Alimentação

Consumir açúcar refinado aumenta os níveis de gordura no corpo e o risco de desenvolver doenças como diabetes. Saiba como substituir o produto

Dor

15% dos brasileiros sofrem com enxaqueca, condição que pode ser tratada de diferentes formas. Veja quais terapias podem ajudar

Medicamentos

Anfetamina prescrita para TDAH é frequentemente usada como um estimulante. Conheça os riscos do Venvanse