Connect with us

O que você está procurando?

Doenças

Apetite insólito: saiba o que é a curiosa Síndrome de Pica

Popularmente conhecido como Síndrome de Pica, o apetite insólito consiste em comer objetos que não são comestíveis

Apetite insólito: saiba o que é a curiosa Síndrome de Pica
Apetite insólito: saiba o que é a curiosa Síndrome de Pica - Foto: Shutterstock

O apetite insólito, mais conhecido como Síndrome de Pica, é um distúrbio alimentar no qual uma pessoa come coisas que geralmente não são consideradas alimentos. É comum crianças pequenas colocarem itens não alimentares na boca, como grama ou brinquedos. No entanto, aquelas com pica (PIE-kuh) vão além disso, e por isso podem ter problemas sérios de saúde. Em adultos, o problema geralmente está associado a retardo mental, psicose e gravidez.

O que causa a Síndrome de Pica

Segundo Pós PhD em Neurociências e membro da Sigma Xi (The Scientific Research Honor Society), Dr. Fabiano de Abreu Agrela, a Síndrome de Pica pode ser decorrente de diferentes contextos:

  • Anemia;
  • Gravidez;
  • Deficiência de nutrientes;
  • Transtornos psiquiátricos (por exemplo, depressão, ansiedade, tricotilomania e deficiência intelectual (DI);
  • Transtorno do espectro autista (TEA);
  • Desnutrição ou fome, pois itens não alimentares podem ajudar a dar uma sensação de saciedade. Além disso, baixos níveis de nutrientes como ferro ou zinco podem desencadear desejos específicos;
  • Pós-cirurgia bariátrica, mais raramente. 

A síndrome também pode ter relação com comportamentos culturais ou aprendidos. O neurocientista acrescenta ainda que danos no lobo temporal, causadores de déficits de memória semântica, estão associados à síndrome, o que leva a crer numa disfunção nesta região do cérebro. 

Também já foram encontrados casos em pessoas com Transtorno Depressivo Maior, assim como derivados de transtornos relacionados à ansiedade excessiva, detalha Fabiano. Isso ocorre principalmente porque a falta de serotonina pode levar a diversos distúrbios. “Os baixos níveis desse neurotransmissor, por exemplo, aumentam compulsões alimentares como a chamada Síndrome de Pica”, afirma. 

Entre os muitos neurotransmissores presentes no organismo do ser humano, a serotonina é responsável por uma enorme gama de sensações. É ela, por exemplo, quem regula o humor, a saciedade, a fome, o sono, a temperatura corporal e até as funções cognitivas.

Diagnóstico

O diagnóstico da Síndrome de Pica é feito através de exames como urina e fezes, assim como teste de imagem como raios-X, tomografia computadorizada (TC), ressonância magnética (MRI), ultra-som e outros. 

Também é uma opção o eletrocardiograma (ECG ou EKG), que procura problemas com o ritmo elétrico do coração que podem ocorrer com certos desequilíbrios eletrolíticos ou infecções parasitárias.

Problemas associados à Síndrome de Pica

Fabiano alerta que a síndrome pode acarretar uma série de problemas de saúde, entre eles:

  • Anemia (baixo teor de ferro);
  • Constipação;
  • Ascaridíase (infecção por lombriga);
  • Desequilíbrio eletrolítico;
  • Ritmos cardíacos irregulares (arritmias);
  • Envenenamento por chumbo;
  • Obstrução/bloqueio do intestino delgado e do intestino grosso.

Tratamento

Segundo o especialista, existem diferentes frentes no tratamento da Síndrome de Pica:

Terapia aversiva leve: o método envolve ensinar as pessoas a evitar comportamentos de pica, usando aversões leves para ensiná-las a evitar itens não alimentares e reforçar positivamente comportamentos alimentares saudáveis.

Terapia comportamental: envolve ensinar a uma pessoa mecanismos e estratégias de enfrentamento para ajudá-la a mudar seu comportamento.

Reforço diferencial: as pessoas aprendem a evitar comportamentos de pica, concentrando-se em outros comportamentos e atividades.

Pode não ser necessário o uso de medicamentos. Caso seja, medicamentos antipsicóticos podem ajudar, mas devido aos seus efeitos colaterais, não podem ser de uso generalizado, destaca o neurocientista. 

Advertisement

Você também vai gostar

Notícias

O ritmo e a frequência da pulsação fornecem informações sobre a saúde cardíaca. Aprenda a checar em casa

Alimentação

Consumir açúcar refinado aumenta os níveis de gordura no corpo e o risco de desenvolver doenças como diabetes. Saiba como substituir o produto

Dor

15% dos brasileiros sofrem com enxaqueca, condição que pode ser tratada de diferentes formas. Veja quais terapias podem ajudar

Medicamentos

Anfetamina prescrita para TDAH é frequentemente usada como um estimulante. Conheça os riscos do Venvanse