Connect with us

O que você está procurando?

Câncer

Câncer de cólon: entenda a doença que Pelé enfrentou

Rei do futebol faleceu aos 82 anos após uma longa batalha contra o tumor

Pelé enfrentou um câncer de cólon
Pelé enfrentou um câncer de cólon - Foto: reprodução Instagram @pele

Edson Arantes do Nascimento, o popular Pelé, conhecido também como Rei do Futebol, faleceu hoje (29) aos 82, anos após enfrentar um câncer de cólon. O ícone do esporte mundial estava internado no Hospital Albert Einstein, em São Paulo.

Entenda o câncer de cólon

Segundo Artur Ferreira, médico oncologista do CPO/Oncoclínicas, a maioria dos casos de câncer de cólon surgem por meio da transformação maligna das células que revestem os órgãos. Ou seja, o problema tende a ser grave. Por isso, é necessário ter atenção.

“Possuem inúmeras causas, entre as quais se destacam sobrepeso e obesidade, sedentarismo, tabagismo e etilismo. Além de alto consumo de carne vermelha e carne processada, baixa ingestão de fibras e vegetais, diabetes e infecções como hepatites B e C, infecção pelo Helicobarter Pylori e infecção pelo Papilomavírus Humano, o HPV”, explica.

Além disso, de acordo com Renata D’Alpino, líder da especialidade de tumores gastrointestinais, sangue nas fezes pode ser um indício inicial de que algo não vai bem na saúde. “Muitas pessoas costumam creditar essa ocorrência a outras causas convencionais, como hemorroidas. E acabam postergando a busca por aconselhamento médico e a realização de exames específicos. Isso faz com que muitas pessoas só descubram o câncer em estágios avançados”, clarifica.

A médica afirma que muitas vezes o tumor só é descoberto tardiamente, diante de sintomas mais severos. Como, por exemplo, anemia, constipação ou diarreia sem causas aparentes, fraqueza, gases e cólicas abdominais, ou até mesmo emagrecimento.

Diagnóstico e prevenção

A principal forma de prevenção e diagnostico é através do exame de colonoscopia. Feito com um tubo flexível e uma câmera na ponta, onde é introduzido no intestino, ele faz imagens que revelam se há presença de possíveis alterações. Permitindo, dessa maneira, até mesmo a remoção de pólipos e biópsias de lesões suspeitas.

No Brasil, o Ministério da Saúde recomenda iniciar o rastreio do câncer de cólon e reto da população adulta de risco habitual na faixa etária de 50 anos. Mas, muitos países já reduziram para 45 anos.

Tratamento

Tudo depende do tipo, da localização do tumor e também da forma como ele está apresentado, localizado ou disseminado. Porém, no geral, a abordagem pode incluir cirurgia, quimioterapia (combinada ou não à radioterapia), terapias com drogas alvo-moleculares e imunoterapia.

Segundo Artur, são doenças potencialmente curáveis quando diagnosticadas em sua fase inicial. “E praticamente incuráveis quando se apresentam disseminadas pelo organismo, em metástases”, complementa.

Por isso, é importante o rastreamento precoce para que o diagnóstico pegue o tumor em sua fase inicial e a chance de cura seja maior.

Fontes: Artur Ferreira, médico oncologista do CPO/Oncoclínicas; Heber Salvador de Castro Ribeiro, cirurgião oncológico e vice-presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Oncológica; Renata D’Alpino, oncologista e líder da especialidade de tumores gastrointestinais e neuroendócrinos do Grupo Oncoclínicas.

Advertisement

Você também vai gostar

Emagrecer

Quem está se propondo a perder peso muitas vezes recupera o antigo número na balança. Conheça algumas dicas para emagrecer de forma definitiva

Doenças

Médica aponta que 50% das pacientes com lipedema também apresentam varizes. Veja como iniciar o tratamento das condições

Doenças

Também conhecida como hipertensão, a pressão alta atinge 32,5% da população adulta brasileira, o que representa 36 milhões de pessoas. Além disso, mais de...

Notícias

O ritmo e a frequência da pulsação fornecem informações sobre a saúde cardíaca. Aprenda a checar em casa